Tag

Trânsito

Eventos

SBAIT presente no 2º Seminário de Mobilidade Humana, Segura e Sustentável

O 2º Seminário de Mobilidade Humana, Segura e Sustentável- Rodovias que perdoam ocorreu em 12 de setembro em Brasília/DF com o objetivo de promover um amplo debate entre a iniciativa pública, privada e sociedade  em torno do tema segurança viária.

O evento teve como proposta compartilhar as tecnologias relacionadas a vias e rodovias que tornem o ir e vir da sociedade mais seguro em seus mais variados modais e, principalmente, que permitam que, em caso de um acidente os envolvidos tenham possibilidade de sobrevivência com a menor sequela possível.

A SBAIT esteve representada no evento por seu presidente Dr Tércio de Campos, juntamente com outras Sociedades Médicas e Instituições interessadas no tema.

O evento foi uma realização do Observatório Nacional de Segurança Viária – ONSV, parceiro SBAIT.

 

Imagem: Dr Tercio de Campos , presidente SBAIT
Crédito: Arquivo SBAIT

P.A.R.T.Y. Brasil, Prevenção

São José dos Campos tem queda de 50% nas mortes de jovens no trânsito

São José dos Campos teve redução de 50% no número de mortes de jovens entre 18 e 29 anos no trânsito no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2018. Foram registrados 6 óbitos de janeiro a junho contra 12 do ano passado.

Os dados, divulgados são do Infosiga, banco de dados do governo do Estado de São Paulo sobre acidentes de trânsito. O balanço corresponde aos acidentes de trânsito nas vias urbanas, sob jurisdição municipal.

Várias ações de prevenção são realizadas no município, como as edições do P.A.R.T.Y. Brasil, em parceria com a SBAIT.

Confira a matéria na íntegra, no portal SP Repórter: São José dos Campos tem queda de 50% nas mortes de jovens no trânsito

Foto: PMSJC

Prevenção

Velocidade e segurança

Na quinta-feira (7 de março) o presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim das lombadas eletrônicas nas rodovias. O mesmo entende que o principal objetivo dos equipamentos não é reduzir o número de acidentes. Segundo Bolsonaro, no Brasil, é quase impossível viajar sem receber multa.

Esta afirmação traz muita preocupação com o estado atual dos prontos socorros que já se encontram cheios de pacientes vítimas do trânsito que mata certa de 40.000 brasileiros por ano.

Dados do DATASUS, compilados pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, o Brasil possui uma taxa de mortes no trânsito por 100.000 habitantes de 18,9 sendo que Roraima, Piauí e Tocantins superam a taxa de 38 mortes por 100.000 habitantes.

Os limites de velocidade são estabelecidos engenheiros em função do tipo, da geometria e das condições da estrada, do tipo de veículos que nela circulam e nas possibilidades climáticas que podem ocorrer e alterar as condições de trafegar.

Velocidades mais altas aumentam o risco de uma colisão por uma série de razões:

  • É mais provável que o condutor perca o controle do veículo
  • Não se antecipe a tempo aos perigos que se aproximam
  • Também faça com que os outros usuários da via subestimem a velocidade do seu veículo.

Quanto maior a velocidade, maior a distância percorrida em determinado intervalo de tempo, maior a distância percorrida para reação do motorista e maior a distância para parar o veículo em caso de necessidade.

Na tabela abaixo, extraída do Manual da Organização Mundial de Saúde (Gestão da Velocidade) fica evidente a importância do controle de velocidade:

Outro dado importante a ser reforçado e que os pedestres, logo depois dos motociclistas, são as maiores vítimas do excesso de velocidade.

No gráfico abaixo e demonstrado o risco de morte do pedestre conforme se eleva a velocidade do veículo causador.

Transport Research Centre: Speed Management report, Paris 2006

Na Austrália, o limite de velocidade na rede viária de Melbourne passou de 100 km/h a 110 k/h em 1987 e depois voltou a 100 km/h em 1989. Em comparação com uma área de controle, onde o limite de velocidade permaneceu o mesmo, a taxa de lesões por colisão por quilômetro percorrido aumentou 24,6 % quando o limite de velocidade aumentou, e diminuiu 19,3 % quando o limite de velocidade diminuiu (Sliogeris J. 110-kilometre per hour speed limit: Evaluation of road safety effects, Melbourne, 1992).

Diante do exposto é importante que a sociedade discuta e aprofunde o nível de informações, pois mortes no trânsito são em sua grande maioria evitáveis e em jovens. E, caso as concessionárias pratiquem ações inadequadas com os recursos das autuações, que sejam punidas com rigor e não nossos filhos.

Por Danilo Stanzani, diretor do comitê de prevenção SBAIT ( gestão 2019/2020)

Campanhas

ONSV lança a Campanha “Quando você bebe e dirige, alguém sempre se machuca.”

Bebida e direção são dois elementos que não combinam. Quando misturados causam danos, tanto físicos quanto psicológicos, em quem dirige e também em quem está ao seu lado.

Para representar os perigos da direção combinada ao álcool, o Observatório Nacional de Segurança Viária ( ONSV), parceiro SBAIT, lançou a Campanha “Quando você bebe e dirige, alguém sempre se machuca.”, a ser utilizada durante o mês de setembro em razão da Semana Nacional de Trânsito 2018.

A campanha pode ser utilizada por toda a sociedade, já que a meta é disseminar o alerta de que a combinação de álcool com a condução de veículos causa mortes. A orientação do OBSERVATÓRIO é que a campanha seja usada em conjunto com o mote definido pela resolução 722: “Nós somos o trânsito”.

Para mostrar que a mistura de bebida e direção causa traumas em quem dirige e também em quem está ao seu lado, a agência F&Q Brasil , que desenvolveu a campanha, usou a mancha de um copo de bebida sobreposta ao rosto de uma vítima, dando a impressão que se trata de um MACHUCADO gerado pelo acidente de trânsito. Dessa maneira, a campanha consegue chamar a atenção do público com imagens chocantes e que remetem à reflexão de que quem bebe pode se MACHUCAR ou ferir alguém.

“Em nossa sociedade você MACHUCAR ou ser MACHUCADO é algo repugnante, pois remete a uma agressão. Esta é a mensagem que queremos passar, que o acidente MACHUCA a todos, ou seja, a vítima se MACHUCA por lesões corporais,  o causador do acidente se MACHUCA psicologicamente, as famílias dos acidentados se MACHUCAM emocionalmente e a sociedade, além do lamento, da dor e sofrimento dos acidentados, tem um ferimento muitas vezes não evidente: a lesão financeira, já que os gastos médicos, hospitalares, previdenciários e com manutenção de bens públicos danificados, serão financiados pelos impostos pagos por todos nós”, afirma José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Ao criar a campanha, a agência parceira do OBSERVATÓRIO considerou a triste realidade brasileira, que diariamente registra acidentes de trânsito (fatais ou não) que são causados por envolvidos que fizeram uso de álcool antes de assumir a direção de um veículo e que MACHUCAM pessoas.

A campanha contempla anúncio para revistas, outdoor, busdoor, cartazes, posts e filtros para perfis das redes sociais. As peças foram feitas com vários atores representando o sentimento de tristeza causados nas vítimas de acidentes de trânsito. Qualquer entidade, órgão público ou privado e empresa pode utilizar as peças criadas.

Para baixar os materiais da campanha, acesse:

Materiais com a logo do ONSV – https://goo.gl/zNm8tQ

Materiais sem a logo do ONSV – https://goo.gl/cFMZ1v 

 

Para saber mais,  acesse: onsv.org.br

News

Ocorrência de trânsito é a principal causa de atendimento no SUS em pacientes de 1 a 14 anos, em estudo da ONG Criança Segura

matéria exibida nesta terça-feira, 18 de julho no Jornal Bom dia Brasil. 

As ocorrências no trânsito representaram 38% dos atendimentos no SUS em pacientes de 1 a 14 anos entre 2014 e 2015. Os afogamentos estão na sequência, com 24% dos atendimentos nesse período, de acordo com dados apresentados pela ONG Criança Segura.

A ONG também observa que os casos de sufocação em ambiente doméstico também aumentou de 2014 a 2015, sendo responsáveis por 18% dos atendimentos no SUS nesse período, ficando em 3º lugar no ranking geral.

Confira matéria exibida nesta terça-feira, 18 de julho no Jornal Bom dia Brasil.

Acidentes domésticos matam mais crianças do que violência e doenças

News

Campanha por trânsito mais seguro na Unicamp traz mensagens do Maio Amarelo

unicamp

Campanha por trânsito seguro na Unicamp.

A defesa de um trânsito mais seguro e do respeito às regras marcam a campanha de conscientização deflagrada na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Placas de orientação sobre o melhor comportamento do trânsito, com os logos do Movimento Maio Amarelo e do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, estão espalhadas no campus da universidade.

Os alertas aos condutores de veículos, que foram colocados em toda a área da instituição no final do mês de setembro, reforçam a integração da Unicamp com a Semana Municipal de Trânsito de Campinas e foram adaptados, segundo conta Mariana Costa Bento Simões, da Prefeitura do Campus, a partir do material disponibilizado na página eletrônica do Movimento Maio Amarelo (www.maioamarelo.com).

Criado e coordenado pelo OBSERVATÓRIO, o Maio Amarelo visa ampliar a conscientização da sociedade pela redução do número elevado de mortes e de feridos graves em acidentes de trânsito nas vias e rodovias do Brasil e do mundo. O Movimento, em sua edição de 2016, abrangeu todos os estados brasileiros e 23 países nos cinco continentes.

De acordo com Mariana, manter o logo e utilizar as mensagens do Movimento é o modo de a Unicamp destacar seu apoio ao Maio Amarelo. Ela conta, também, que a necessidade de um trânsito mais seguro e humano é foco de campanhas constantes realizadas pela instituição de ensino. Trafegam diariamente pelo campus, na estimativa da Prefeitura da Unicamp, cerca de 40 mil veículos.
Realizamos constantemente campanhas com foco no trânsito aqui no Campus e sempre incluímos o logo do Maio Amarelo, reforçando nosso apoio ao movimento.

A Disciplina de Cirurgia do Trauma e a Liga do Trauma da Unicamp atuam continuamente em ações de prevenção de acidentes no trânsito. Segundo o Prof. Dr. Gustavo P. Fraga, coordenador da Disciplina e coordenador do Comitê de Prevenção da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), “ações como essa no campus da Unicamp são fundamentais para a mudança do comportamento de motoristas e pedestres, gerando um trânsito mais seguro e reduzindo o número de vítimas”. 

Fonte: http://www.onsv.org.br/ 

News

Segundo pesquisa, 80% dos motoristas afirmam usar celular enquanto dirigem.

celular e direçãoUma pesquisa realizada com 4100 motoristas de São Paulo (SP) revela:

  • 80% dos motoristas afirmam que dirigem e usam o celular ao mesmo tempo.
  • 35% deles, para receber ou fazer ligações
  •  7% para ler ou escrever mensagens
  • 38% em ambos os casos
  • 8% não mudaria seu comportamento de jeito nenhum


Dr. Diogo Garcia, membro da diretoria SBAIT e coordenador do Centro de Trauma do Hospital Samaritano (SP), que realizou a pesquisa, comenta que 
93% dos pesquisados reconhecem que o uso do aparelho móvel ao volante é perigoso, mas na totalidade, só deixaria de usar se ele ou algum familiar sofresse acidente causado pelo uso do celular.

“O grande problema da gravidade de quem está digitando enquanto está dirigindo é que você não vai ter como se preparar para o acidente. Se a pessoa está a 100 km/h e ela perde a direção,  não vai ter aquele período em que ela freou porque ela viu que ia sofrer um acidente”, ressalta o médico Diogo Garcia.

Saiba mais:

80% dos motoristas dirigem e usam celular ao mesmo tempo, diz pesquisa ( Jornal da Globo, 27/01/16)

News

Com a Declaração de Brasília, países se comprometem a priorizar pedestres, ciclistas e motociclistas

RoadSafetyA “Declaração de Brasília” foi aprovada pelos mais de 130 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) reunidos na 2ª Conferência Global de Alto Nível sobre Segurança no Trânsito, realizado durante os dias 18 e 19 de novembro, em Brasília (DF).

O documento traz como prioridade a segurança de pedestres, ciclistas e motociclistas – usuários mais vulneráveis do trânsito. Os países reafirmaram também, reduzir à metade, até 2020, as mortes causadas por acidentes de trânsito.

Entre as ações recomendadas no documento está a adoção, implementação e cumprimento de políticas e medidas voltadas a proteger e promover, de forma ativa, a segurança de pedestres e a mobilidade de ciclistas – como calçadas, ciclovias e/ou ciclofaixas, iluminação adequada, radares com câmeras, sinalização e marcação viária.

Uso de motocicletas – No que diz respeito aos motociclistas, que figuram entre as vítimas mais vulneráveis do trânsito em todo o mundo, a Declaração de Brasília registra entre suas recomendações a de desenvolver e implementar legislação e políticas abrangentes sobre o uso de motocicletas – incluindo educação e formação, licenciamento do condutor, registro do veículo, condições de trabalho, uso de capacetes e de equipamentos de proteção individual. Pedestres, ciclistas e motociclistas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) perfazem atualmente metade das 1,25 milhão de vítimas fatais do trânsito no mundo.

“Mortes e lesões no trânsito são também uma questão de equidade social, já que as pessoas pobres e vulneráveis são, com maior frequência, também usuários vulneráveis das vias (pedestres, ciclistas, motoristas de veículos motorizados de duas e/ou três rodas e passageiros de transporte público inseguro)”, afirma a declaração. “Eles são desproporcionalmente afetados e expostos a riscos e lesões e mortes no trânsito, que podem levar a um ciclo de pobreza exacerbada pela perda de renda”, assinala o documento.

Para proteção desses usuários, um dos compromissos assumidos pelos países na carta é o de estabelecer e implementar limites de velocidade seguros e adequados acompanhados de medidas apropriadas de segurança – como sinalização de vias, radares com câmeras e outros mecanismos de restrição de velocidade, particularmente perto de escolas e de zonas residenciais, de modo a ampliar a segurança de todos os usuários das vias.

METAS REAFIRMADAS – As metas de reduzir à metade, até 2020, o número de mortes e lesões causadas pelo trânsito em todo o mundo, e de aumentar de 15% para 50% o percentual de países com legislação abrangente sobre os cinco fatores-chaves de risco – não uso de cinto de segurança, de capacete e de dispositivos de proteção para crianças, mistura álcool/direção e excesso de velocidade -, são reafirmadas na declaração. O acesso das populações a sistemas de transporte seguros, acessíveis e sustentáveis, melhorando a segurança no trânsito notadamente por meio da expansão do transporte público – conforme incluído pela Cúpula da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável 2015 na nova agenda global -, é também uma meta saudada pelo documento.

O reforço dos países a estratégias de policiamento nas vias e medidas de fiscalização com foco na redução de acidentes também está entre as recomendações, assim como incentivar os Estados a introduzirem novas tecnologias de gestão do trânsito e de sistemas de transporte inteligente, para mitigar os riscos de lesões e mortes.

Na área da saúde, o documento aponta a necessidade de fortalecer os cuidados pré-hospitalares, incluindo serviços de saúde de emergência e resposta imediata pós-acidente, diretrizes ambulatoriais e hospitalares para cuidado do trauma, além de serviços de reabilitação.

A Declaração de Brasília sobre Segurança no Trânsito reconhece que a maioria expressiva das mortes e lesões no trânsito é previsível e evitável – e, na metade da Década de Ação, há muito a ser feito apesar dos progressos e melhorias em vários países.

A íntegra do documento pode ser lida aqui.

Fonte: Assessoria de Comunicação – MS

News

Campanha marca “Dia em Memória das Vítimas de Acidentes de Trânsito”

O terceiro domingo de novembro , em 2015, realizado em 15/11, é marcado em todo o 15 de novembromundo como o Dia em Memória das Vítimas de Acidentes de Trânsito. Nesse ano, o Observatório Nacional de Segurança Viária ( ONSV), parceiro SBAIT, lançou uma campanha com o tema: “as pessoas acham que acidentes de trânsito sempre acontecem com os outros”, trabalhando o apelo e conscientização sobre a importância do respeito às leis de trânsito.

As peças da campanha de 2015 mostram um retrato sobre o pensamento de muitos cidadãos :

  • 98% das vítimas acham que isso só acontece com os outros.
  • Suas últimas palavras foram: “isso nunca acontecerá comigo”.
  • Ele pensava que acidentes fatais só aconteceriam com os outros. Agora é tarde para dizer que não fazia o menor sentido.

Mais de 1,3 milhão de pessoas morrem no trânsito, todos os anos, em todo o mundo. O Brasil é o quarto país em número de mortes nas vias, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). Os últimos dados oficiais do Ministério da Saúde indicam mais de 42 mil mortes no país (2013).

Confira outras imagens utilizadas na Campanha 2015:

 

News

Seminário “Urbanidade – por uma mobilidade Segura” discutiu cenário atual do trânsito brasileiro

Imagem1bFoi realizado nesta terça-feira (3) em Brasília (DF), o  Seminário “URBANIDADE – Por uma Mobilidade Segura” e contou com a presença de Dr Gustavo Pereira Fraga, coordenador do comitê de prevenção da SBAIT como coordenador do painel “Saúde”.

O Painel Saúde incluiu discussões em torno das dificuldades enfrentadas em todas as etapas do pós-acidente – do atendimento pré-hospitalar ,o atendimento hospitalar até a reabilitação, abordando também as políticas de prevenção, que evitariam o agravamento desse cenário.

O Seminário Urbanidade teve como foco principal promover a discussão do cenário atual do trânsito brasileiro dentro dos eixos de atuação propostos pela ONU (Organização das Nações Unidas) e também no Plano Nacional de Redução de Acidentes visando alcançar as metas da Década de Ação para Segurança no Trânsito 2011-2020 que almeja reduzir em 50% as mortes decorrentes do trânsito.

Dividido em cinco painéis, o  Seminário discutiu: Fiscalização, Infraestrutura, Segurança Veicular, Educação e Saúde.  e reuniu órgãos que compõe o SNT (Sistema Nacional de Trânsito), autoridades dos Ministérios que compõe o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), autoridades de trânsito de todas as esferas, deputados, representantes de ONGs, autoescolas, imprensa, entidades relacionadas ao setor automotivo, confederações ligadas ao tema, entre outros convidados.

Vídeo apresentado durante o Painel Saúde:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=Foi8n5btTHs]

Fechar