Tag

Estatísticas

News

Trânsito mata mais de 5 pessoas por hora no Brasil

trânsitoDados atualizados do Ministério da Saúde mostram que a cada hora o trânsito mata mais de cinco pessoas no País: 46 mil só em 2012. O número revela aumento de 3,4% no total de óbitos nas ruas e estradas do País em relação ao ano anterior.

Revela ainda que em dez anos o número de mortes no trânsito brasileiro avançou 38%: em 2002, ele havia matado 33 mil pessoas.

As estatísticas são as mais recentes do Datasus, sistema que contabiliza os atendimentos médicos feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o País.

Os números mostram aceleração no crescimento do número de mortes no trânsito. Entre 2010 e 2011, o total de mortes havia crescido 1,47%.

Entretanto, o levantamento revela que o problema não é uma epidemia nacional, mas sim fruto de um crescimento acelerado do número de mortes na Região Nordeste do País.

Das 1.498 mortes registradas a mais em 2012 do que em 2011, 1.105 foram nos nove Estados do Nordeste. Essa região concentra apenas 15% dos 76 milhões de veículos existentes no País, conforme os dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), mas responde atualmente por 28% das mortes registradas em acidentes de transporte.

A Região Norte enfrenta situação semelhante. Lá, o crescimento do número de vítimas em acidentes fatais foi de 7,2% de um ano para outro. O grande vilão do quadro são as motocicletas.

Embora concentre a maior parte dos acidentes – naturalmente porque abriga a maior parte da população e da frota de veículos do Brasil – a Região Sudeste obteve uma redução do número de mortes: de 16.466 casos em 2011 para 16.253 em 2012 (1,20%).

É a retomada de uma tendência de queda de mortes observada entre os anos de 2005 e 2007, segundo as estatísticas do SUS.

Em novembro de 2011, uma reportagem do Estado mostrou que, no Norte e Nordeste, regiões que se destacavam como líderes nas mortes do trânsito, as motos já eram usadas até para tocar a boiada em fazendas de áreas rurais. A falta de fiscalização e de formação eram apontadas como os principais problemas.

Atropelamentos

Os dados do Datasus mostram que o número de pessoas atropeladas por carros, motos, ônibus e caminhões no País está em queda. Nos dados fechados de 2012, 8,8 mil pessoas morreram atropeladas no País. Em 2011, haviam sido 9,4 mil mortes. Nos últimos dez anos, a redução foi de mais de mil mortes.

Saiba mais:

Trânsito mata mais de 5 pessoas por hora no Brasil (Portal Uol Notícias, 19/07/14)

News

Mapa da Violência 2014 aponta os acidentes de trânsito e assassinatos como as duas principais causas de mortes entre os jovens no país

mapa da violencia 2014Os acidentes de trânsito e assassinatos são apontados como as duas principais causas de morte de brasileiros de 15 a 29 anos, segundo o mapa da violência 2014, elaborado pela faculdade Latino Americana de Ciências Sociais.

De acordo com a pesquisa, Rondônia é o Estado onde mais se morre no trânsito. Em 2012, foram 47 mortes em acidentes de trânsito para cada 100 mil jovens. Na sequência, aparecem os estados de Piauí e Paraná. Já a maior taxa de homicídios ocorre em Alagoas.

Alagoas e Rondônia são apontados como os dois estados brasileiros mais perigosos para quem tem entre 15 e 29 anos.

Saiba mais:

Mapa da violência 2013 – acidentes de trânsito e motocicletas

Mapa da violência 2014 – Os Jovens do Brasil

Pesquisa aponta principais causas de morte dos brasileiros de 15 a 29 anos (Portal Fantástico / G1, 29/06/14)

 

News

CET divulga redução de acidentes fatais em SP

 

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou nesta quinta-feira (20),  o Relatório Anual de Acidentes Fatais ocorridos na cidade de São Paulo (SP) em 2013.

Segundo o relatório, pela primeira vez em 8 anos foi registrada uma redução no número de acidentes fatais na cidade em todas as categorias. Dados computados pela Polícia Civil em São Paulo registrou  25.560 acidentes de trânsito durante o ano de 2013 envolvendo vítimas, dos quais 6.590 (25,8%) foram atropelamentos e 18.970 (74,2%) acidentes de outros tipos.

Em 2013, o número de mortes no trânsito em São Paulo caiu 6,4% em comparação a 2012, sendo 1.152 mortes, contra 1.231 em 2012. De acordo com a CET, o índice é o menor já registrado desde que a contagem teve início, em 1979.

As mortes de ciclistas em acidentes no trânsito, por exemplo, caíram 32% em 2013 .  Em oito anos, o total de ciclistas mortos caiu 62,4%. As colisões foram a principal causa registrada para os acidentes fatais. 

Segundo a CET, a queda nos números se deve, principalmente ao aumento da fiscalização eletrônica de velocidades e da intensa fiscalização da alcoolemia dos condutores.

gráfico_499x173

Gráfico: mortes em acidentes de trânsito, segundo o tipo de usuário das vias ( CET)

tabela 2_500x244

Tabela – CET

Saiba mais:

Pela primeira vez em 8 anos o número de acidentes fatais na cidade cai em todas as categorias ( Portal CET – 20/03/14)

SP tem queda histórica de mortes, mas trânsito ainda mata ao menos 3 por dia.  ( Folha de S. Paulo, 20/03/14)

Mortes de ciclistas no trânsito de SP têm queda de 32% em 2013 ( Portal G1, 20/03/14)

News

Balanço da PRF registra redução da violência no trânsito nas rodovias durante 2013 e Carnaval 2014.

estradaA Polícia Rodoviária Federal (PRF) apresentou o balanço dos dados da violência no trânsito nas rodovias federais no ano de 2013 e também durante o Carnaval 2014.

A intensificação da fiscalização e as novas tecnologias são apontadas como fatores decisivos para a redução dos números em ambos os períodos.

Balanço 2013 

De acordo com a PRF, foi registrada, em 2013, uma queda de 10% no número de mortes (8415), 8% no índice de feridos (103.559) e 6% na taxa de acidentes (186.474) em relação a 2012.

Os fatores comportamentais são apontados como os maiores responsáveis pelos acidentes de trânsito. Dos acidentes que resultaram em mortes, 1.333 aconteceram por falta de atenção, 939 por velocidade incompatível e 536 por ultrapassagens indevidas.

numeros 2013

Raio – X estradas brasileiras em 2013.
Crédito: Polícia Rodoviária Federal

A colisão frontal é o tipo de acidente que mais matou em 2013, correspondendo a 3% do total de acidentes e 32% das mortes do ano.

A colisão traseira aparece como o principal tipo de acidente, causado principalmente pela falta de atenção, por não se guardar distância de segurança e por se manter uma velocidade incompatível. A maioria dos acidentes aconteceu durante o dia, em retas, com tempo bom e no perímetro urbano. Já os acidentes que resultaram em mortes ocorreram durante a noite, em retas e na área rural.

Verificou-se ainda que os condutores infratores não respeitam os limites de velocidade, fazem ultrapassagens proibidas, não usam o cinto de segurança e não cuidam de seus veículos, sendo as ultrapassagens e excesso de velocidade, as principais causas dos acidentes registrados.

Carnaval 2014

Também foi registrada pela PRF uma redução de 9% no número de acidentes (3201), de 16% na taxa de feridos (1823) e 6% no índice de óbitos (155) durante o feriado de Carnaval, considerado o mais “etílico” do ano.

Os estados de Minas Gerais e Bahia, que concentravam a maioria das ocorrências no Carnaval, apresentaram reduções históricas de 23% e 38% no índice de mortes, respectivamente. Minas Gerais alcançou um recorde nunca antes registrado: três dias (sexta, terça e quarta) sem mortes na maior malha viária do país.

Na opinião de Gustavo Pereira Fraga, presidente da SBAIT, “a educação no trânsito e a fiscalização rigorosa, principalmente identificando e punindo motoristas que dirigem alcoolizados, são medidas efetivas que fazem diminuir o número de eventos com vítimas no trânsito.A SBAIT está criando um Comitê de Prevenção com o objetivo de desenvolver ações para a população a fim de, junto com outros parceiros, contribuir para a reduzir o impacto da doença trauma em nosso país”

 Confira detalhes:

Esforço de fiscalização reduz violência nas rodovias ( Portal Polícia Rodoviária Federal, 06/03/14)

Caem números de mortos, acidentes e feridos em 2013 ( Portal Polícia Rodoviária Federal, 28/02/14)

News

Balanço da PRF registra redução nos acidentes nas rodovias durante final de ano

estradas brasileirasBalanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nesta quinta-feira (2), aponta queda de 10% nos acidentes nas estradas brasileiras durante os feriados de final de ano em relação ao mesmo período de 2012.

Apesar da redução, os números permanecem altos  quando pensamos em prevenção do Trauma: Foram registrados, de 20 de dezembro de 2013 a 1º de janeiro de 2014, 7.407 acidentes, que ocasionaram 420 mortes e 4352 feridos. A estradas 2013maior causa de mortes foram as colisões frontais, que resultaram em 83 vítimas fatais. Resultados da imprudência dos motoristas durante as viagens.

Minas Gerais registrou o maior número de acidentes: 1.102. Em segundo lugar,  Santa Catarina, com 751 acidentes, e depois o Paraná, com 750.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a redução deve-se à intensificação da fiscalização, ao planejamento e implantação da Lei Seca.

Saiba mais:

Balanço da PRF aponta queda nos acidentes nas rodovias no fim de ano

News

Lançado site do Observatório Paulista de Trânsito

mapa sp

Exemplo de mapa do site Observatório Paulista de Trânsito

No último dia 18 de setembro, na abertura da Semana Nacional de Trânsito, o DETRAN – SP lançou a 1ª versão do site do Observatório Paulista de Trânsito, com indicadores de óbitos por acidentes de transportes terrestres ocorridos  no Estado de São Paulo, conforme o município de domicílio das vítimas, do período 2006 a 2011. É um projeto feito em parceria com a Fundação SEADE.

O objetivo do site é ser uma referência no Estado, fornecendo um primeiro indicador sobre a situação da segurança no trânsito nos diferentes municípios, nesta Década de Ações para Segurança Viária da ONU -2011 a 2020.

grafico sp

exemplo de gráfico do site Observatório Paulista de Trânsito

Os dados são apresentados na forma de mapas, tabelas e também é possível realizar pesquisas cruzando informações e baixar os resultados.

Campinas será uma das cidades a contribuir com as informações. A cidade já conta com o Projeto Vida no Trânsito e agora estrutura o Observatório Municipal do Trânsito, uma coordenação conjunta entre Saúde e EMDEC ( Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) e em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado e o DETRAN – SP, fará parte do projeto piloto para trabalhar as informações sobre acidentalidade no trânsito.

Para saber mais, acesse o site  do Observatório Paulista de Trânsito  .

Fechar