Tag

Assessoria de Imprensa SBAIT

Campanhas

SBAIT difunde a prevenção do trauma durante o Movimento Maio Amarelo

Pela ocasião do Movimento Maio Amarelo, que mobilizou todas as regiões do Brasil e diversos países em torno da causa da redução das estatísticas no trânsito, a SBAIT promoveu amplas ações de conscientização e prevenção da doença trauma durante todo o mês de maio.

A  Campanha da SBAIT “Não Foi Acidente”, veiculada nas redes sociais, promoveu com peças publicitárias a reflexão na população sobre suas escolhas e ações no trânsito, mostrando que a prevenção de ocorrências depende realmente de cada um de nós, como não dirigir após consumir bebida, não ultrapassar em local proibido, usar o cinto de segurança e não usar o celular enquanto dirige, por exemplo. A Campanha teve um alcance de 271. 882 pessoas nas redes sociais, promovendo interação com 35. 116 pessoas, entre compartilhamentos e comentários.

Além da Campanha da SBAIT, também foram realizadas ações locais, com orientações diretamente à população, edições especiais do Programa P.A.R.T.Y. Brasil , que atua na atua na prevenção do trauma relacionado ao uso de álcool na juventude,, entre outros eventos, organizados pelos capítulos e membros SBAIT em todas as regiões do país.

Essas ações, especialmente a Campanha SBAIT, promoveram ampla repercussão também na mídia, onde membros SBAIT foram convidados para entrevistas ao vivo em rádios, TVs, mídia online e impressa, aproveitando a oportunidade para difundir a consciência da doença trauma e como pode ser evitada.

Agradecemos e parabenizamos todos que, de alguma forma participaram do Movimento Maio Amarelo- SBAIT, lembrando que o mês de maio passou, mas estaremos sempre empenhados na missão de combater a doença trauma.

 

Abaixo, confira a participação da SBAIT na imprensa, durante o Maio Amarelo:

Entidade foca imprudência no trânsito no Maio Amarelo  – CBN Campinas – 11/05/18

Evento ensina a socorrer em parada respiratória – Digitais , PUC-Campinas – 17/05/18

Ação “Salvando Vidas” aborda mais de 5 mil pessoas no Largo do Rosário – Portal SMCC , 17/05/18

Treinamento para leigos na SMCC supreende participantes – Portal SMCC 22/05/18

Maio Amarelo – Entrevista com Dr Gustavo P. Fraga – Rede Século XXI – 16/05/18 

Ação do Maio Amarelo ensina a pedestres como socorrer acidentados – CBN Campinas – 16/05/18

Campanha realiza ação para ensinar a socorrer vítimas de acidente de trânsito – Rede VTV – 16/05/18

Médico fala sobre campanha “Não Foi Acidente”  – TV Câmara São Paulo – 16/05/18

Entidade lança a campanha “Não foi acidente” para alertar a população sobre a importância de seus atos no trãnsito – Portal AM Notícias – 16/05/18

Entidade  lança a campanha “Não foi acidente” para alertar a população sobre a importância de seus atos no trânsito – Blog Jornal da Mulher, 14/05/18

José Mauro da Silva Rodrigues, presidente da SBAIT, fala da campanha “Não foi acidente” para alertar a população sobre a importância de seus atos no trânsito – CBN Campinas – 07/05/18

Entidade lança a campanha “NÃO FOI ACIDENTE” para alertar a população sobre a importância de seus atos no trânsito – Revista RMC – 04/05/18

Campanha “Não foi acidente” – Jornal RF News , 03/05/18

Sociedade médica lança campanha ‘Não foi acidente’ – Portal Bem Paraná , 03/05/18

Campanha “Não foi acidente” é lançada para alertar a população sobre o Maio Amarelo: Portal Agenda In , 02/05/18

 

News

Trauma deixa 93,9 mil pessoas feridas por mês no 1º semestre de 2017

Mais de 90% dos casos poderiam ser evitados com prevenção

O Trauma foi responsável por 563.774 feridos internados de janeiro a junho deste ano. Para atender a todos esses pacientes, o SUS (Sistema Único de Saúde) desembolsou R$ 703 milhões. O levantamento, feito pela SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) e baseado em informações do DataSUS, demonstram a vulnerabilidade de um País que abriga 13 das 50 cidades mais violentas do mundo
e que possui poucos estudos para definir políticas públicas eficientes. No mesmo período do ano passado, foram 559.697 internações. O aumento foi de 0,75%.

“São números realmente alarmantes. Os registros mostram o quanto caminhamos devagar nesse setor”, afirma o presidente da SBAIT, José Mauro da Silva Rodrigues. “Vivemos uma situação de guerra não declarada. É uma epidemia desta doença no País. O mais triste é que praticamente todas as ocorrências de Trauma poderiam ser evitadas”, completa.
Do total de internações de Trauma, 101.785 foram causadas por alguma ocorrência envolvendo meios de transporte, o que resultou em um gasto de R$ 141,5 milhões no SUS .

“Se considerarmos que, na maioria das vezes, uma ocorrência de trânsito está relacionada a falhas nos veículos, que poderiam ser evitadas com manutenção, falhas nas vias públicas, que poderiam ser evitadas com sinalização adequada e vias seguras, ou imprudência, como desrespeito às regras de trânsito, uso de celular ao volante, etc., esta situação poderia
ser bem diferente apenas com prevenção.”, explica Rodrigues.

Para ele, muitos fatores pioram essas estatísticas. “A deficiência do transporte público faz do automóvel uma necessidade, incentiva-se o uso de motocicleta para o trabalho, as propagandas de bebidas alcoólicas são livres e voltadas para jovens. Tudo isso agrava a situação”, reforça. “Para piorar, não temos registros de trauma nos hospitais brasileiros, o que inviabiliza estudos de prevalência. Em países desenvolvidos, o registro de trauma é fundamental para gerar políticas públicas”, compara.

Trauma é todo atendimento médico decorrente de lesões provocadas por causas externas, como ocorrências de trânsito, violência, quedas e outros tipos de acidentes. A SBAIT é uma entidade que reúne cirurgiões do Trauma de todo o País e desenvolve vários trabalhos de prevenção.

Informações à imprensa:
Capovilla Comunicação
Patrícia Capovilla
(19) 99284-1970

News

SBAIT alerta sobre os principais ferimentos traumáticos nas férias

Na maioria das vezes, é possível evitar as ocorrências com medidas simples de prevenção

mergulho rioA SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) está fazendo um alerta sobre os principais ferimentos traumáticos registrados durante as férias. O objetivo da entidade é orientar as pessoas para que elas se previnam, com medidas simples, mas que podem reduzir os riscos tanto para crianças quanto para adultos.

As lesões por trauma mais comuns nesta época do ano, segundo a SBAIT, são afogamentos, traumatismo raquimedular por mergulho em águas rasas, ferimentos leves em crianças com objetos cortantes, ocorrências automobilísticas em estradas, quedas de motocicleta e ocorrências envolvendo ciclistas.

“Nesta época, as pessoas saem da rotina. Viajam mais, ficam fora do ambiente em que estão acostumadas, muitas consomem mais bebida alcoólica. Tudo isso reflete nos casos dos ferimentos traumáticos, alguns fatais. Queremos que a população entenda que a maioria das lesões por trauma poderia ser evitada, não são acidentes, mas situações que poderiam ser prevenidas com medidas simples”, explica o presidente da SBAIT, Sandro Scarpelini.

Para evitar afogamentos, é importante que quem não sabe nadar não entre sozinho na água, independentemente de ser adulto ou criança. Além de acompanhada, a pessoa também deve usar boias e coletes salva-vidas. “Outra grande característica dos afogamentos é o local do mergulho. Por isso, quem sabe nadar também precisa tomar cuidado. No rio, por exemplo, na maioria das vezes, não conseguimos saber o que está embaixo d´ água, se existe uma pedra ou algo do tipo. Ao mergulhar, a pessoa pode se acidentar e sofrer uma lesão na medula”, destaca Scarpelini.

Com as crianças em casa em tempo integral, os pais devem redobrar os cuidados com facas e outros objetos que possam causar ferimentos. O mesmo cuidado deve ser tomado em hotéis, casas de parentes e amigos ou casas alugadas para temporadas. “As crianças são muito curiosas e não têm noção do perigo. Por isso, este tipo de objeto deve estar longe do alcance delas. É importante que os responsáveis façam uma vistoria no local para ver se não tem nada que ofereça perigo”, orienta o presidente a entidade.

O trânsito, um dos maiores causadores de ferimentos por trauma, é o local que merece maior atenção. “As dicas são as mesmas de sempre, mas é preciso segui-las. As pessoas têm a falsa impressão de que, com elas, não vai acontecer, mas acontece. Por isso, é fundamental não ingerir bebida alcoólica antes de dirigir, fazer manutenção no veículo, não dirigir com sono, não usar celular ao volante, seja para falar, ler ou passar uma mensagem de texto. Somos um dos países que mais matam no trânsito. Precisamos reverter essa situação e isso depende muito da conscientização do motorista”, destaca Scarpelini.

Ainda no trânsito, outro problema preocupante são os ciclistas. “O ciclista costuma estar muito vulnerável, já que nem sempre é respeitado nas ruas. Além disso, há o risco de queda. É fundamental que ele esteja com todos os equipamentos de segurança: capacete, joelheira, cotoveleira e luvas. E isso vale para crianças e adultos. À noite, é muito importante que a bicicleta seja vista, através de lanternas, roupas ou objetos refletores”, comenta o presidente da SBAIT.

Por Assessoria de Imprensa SBAIT

News

SBAIT orienta como agir em caso de ocorrências de trânsito

resgateAo acionar um serviço de resgate, é importante que a pessoa tenha em mãos informações decisivas para um bom atendimento

A SBAIT está divulgando uma série de orientações para que as pessoas saibam como agir, ao acionarem um serviço de resgate para atendimento de uma ocorrência de trânsito com vítima. Informações passadas corretamente ao atendente facilitam e agilizam o atendimento e, consequentemente, a chegada do socorro.

Ao se deparar com uma ocorrência de trânsito com vítima, o primeiro passo é ficar em segurança e verificar se as vítimas estão em segurança também. A partir disso, é necessário solicitar um serviço de resgate.  O número mais comum para este tipo do atendimento é o do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) – 192. Outros números úteis são o 193 (Corpo de Bombeiros) e o da Polícia Militar (190).

O atendente vai solicitar uma série de informações e, para agilizar este atendimento, é muito importante que você tenha em mãos: o endereço correto do local da ocorrência, se há algum tipo de vazamento de combustível, se há alguém preso nas ferragens, quantas vítimas são (e se há crianças entre elas), se há vítimas andando, se estão conscientes ou inconscientes.

“Quanto mais fiel à cena da ocorrência for a informação passada ao serviço, melhor será o atendimento. O número de viaturas, o tipo de viatura… tudo isso depende muito do estado das vítimas. Com uma checagem rápida no local, qualquer pessoa pode passar informações muito importantes para o serviço médico”, explica o coordenador do Comitê de Atendimento Pré-Hospitalar da SBAIT, Rodrigo Caselli.

É importante destacar que as vítimas, por mais que pareçam bem, só devem ser movidas por uma equipe médica, salvo no caso de estarem correndo algum risco, como serem atropeladas. Ainda assim, é importante comunicar ao atendente esta situação e seguir suas orientações. “O ideal, para evitar novas ocorrências, é sinalizar o local e, se for o caso, impedir a passagem de veículos”, reforça Caselli.

O presidente da SBAIT, Sandro Scarpelini, explica que, no calor da emoção e na pressa de acionar um resgate, as pessoas não fornecem informações necessárias. “Às vezes, em alguns segundos, você pode ter uma ideia geral da cena da ocorrência. Este pequeno tempo que parece estar atrasando o resgate certamente vai agilizar lá na frente. É preciso manter a calma em uma situação como esta”, frisa.

 

News

SBAIT dá dicas para evitar acidentes de trânsito

download (1)Milhares de pessoas morrem nas estradas do Brasil todos os anos; e a maioria dos acidentes poderia ser evitada

Milhares de pessoas vão pegar a estrada durante o feriado do ano novo. Apenas no sistema Anhanguera Bandeirantes, são esperados 990 mil veículos no trecho de entrada e saída de São Paulo, segundo informações da concessionária AutoBAN. Com tantos veículos em circulação, é importante redobrar a atenção, já que estimativas apontam que 95% dos acidentes de trânsito são causados por falha humana.  O balanço da Polícia Rodoviária Federal aponta que apenas no feriado de Natal, foram 183 mortos e 2.224 feridos nos 3.258 acidentes registrados entre 20 e 25 de dezembro. Preocupada com esta realidade, a SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) está fazendo um alerta aos motoristas para que, com cuidados simples, eles possam reverter esses números.

“É importante fazer a revisão do carro e respeitar as leis de trânsito, mas o motorista precisa fazer mais que isso. Mudar uma estação de rádio ou checar uma mensagem de texto no celular pode ser fatal”, explica o presidente da SBAIT, Gustavo Fraga. A ONU (Organização Mundial das Nações Unidas) estabeleceu ao Brasil uma meta de redução de 50% do número de mortos no trânsito. “Mas depende muito da conscientização do motorista”, destaca Fraga.

Os acidentes em estradas tendem a ser mais graves, já que os veículos costumam estar em alta velocidade. Para se ter uma ideia, de agosto de 2013 a julho de 2014, cerca de 8,5 mil pessoas morreram apenas nas estradas federais no Brasil, de acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal. E em torno de 27 mil ficaram gravemente feridas. “Além da morte, esses acidentes podem deixar sequelas gravíssimas por toda a vida. As pessoas precisam parar de achar que nunca vai acontecer com elas. Ninguém imagina que pode ficar tetraplégico, morrer ou causar a morte de alguém. Mas todos nós estamos sujeitos a isso. Por isso, a prevenção é a melhor solução”, reforça Fraga.

A SBAIT selecionou algumas dicas simples, mas que podem evitar centenas de acidentes de trânsito:

  • não dirigir após ingestão de bebida alcoólica
  • escolher o que quer ouvir no som quando o carro estiver parado
  • não ouvir música alta, já que isso pode impedir que o motorista ouça o som de buzinas ou outras advertências, como as de agentes de trânsito
  • não falar ao celular
  • não responder a mensagens de texto com o veículo em movimento
  • não comer e beber enquanto dirige, já que, para isso, será necessário ficar apenas com uma mão ao volante
  • não retocar maquiagem ou se pentear quando estiver dirigindo
  • realizar a manutenção preventiva do veículo antes de viajar
  • não ultrapassar os limites de velocidade
  • estar sempre com cinto de segurança, inclusive no banco traseiro
  • Manter distância segura do veículo da frente

Boas Férias e boa viagem!

News

Estudantes se mobilizam para ensinar leigos a salvarem vidas

POST AberturaEm 11 cidades do país, haverá eventos para mostrar como se faz a reanimação cardiorrespiratória

Pela primeira vez, estudantes da área de Saúde de 11 cidades do Brasil vão realizar o Dia de Reanimação Cardiorrespiratória (RCP), que será comemorado amanhã, 30 de agosto. Esta é uma grande oportunidade para a população aprender a salvar vidas, já que este conhecimento pode até triplicar as chances de a vítima sobreviver. No total, 17 Ligas Acadêmicas de Trauma e Emergência vão ensinar a leigos as manobras que devem ser feitas após uma parada cardiorrespiratória. As atividades, que envolvem estudantes da área de saúde, médicos e enfermeiros, tem o apoio da SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado).

No Rio de Janeiro e em Palmas, o evento ocorre hoje, sexta-feira. Em Campo Grande, será dia 6 de setembro. Nas demais cidades (Manaus, São Luís, Salvador, Belo Horizonte, Campinas, Alfenas, Porto Alegre e Rio Grande), a comemoração será amanhã.

A parada cardiorrespiratória é um evento súbito e imprevisível, que pode acontecer a qualquer momento e com qualquer pessoa. Consiste em uma perda abrupta das funções cardíaca e pulmonar, levando a óbito, se não for revertida. O tratamento empregado nesses casos é a Reanimação Cardiorrespiratória, uma técnica universalmente empregada e fundamentada que utiliza a combinação de compressões torácicas e ventilações de resgate, utilizadas para manter o paciente em condições de receber o suporte avançado e desfibrilação, visando a reversão do quadro.

“Grande parte das paradas ocorre fora do ambiente hospitalar, principalmente em residências, podendo acometer familiares e amigos”, explica Filipe Sousa Amado, coordenador geral do evento e membro da Liga Acadêmica de Trauma e Emergência do Maranhão. Cerca de 90% das vítimas de parada cardíaca morrem antes de chegar ao hospital, mas uma reanimação cardiopulmonar imediata pode aumentar muito as chances de sobrevivência.

“É muito importante a difusão deste conhecimento. Quanto mais gente souber fazer essas manobras, mais vidas serão salvas”, diz o presidente da SBAIT, Gustavo Fraga. “As estatísticas mostram que as ações feitas nos primeiros minutos após a parada cardíaca são fundamentais para que a vítima sobreviva”, completa.

Com base nesses fatores e na necessidade de ampliar este conhecimento, surgiu o Dia Nacional de Reanimação Cardiopulmonar, que ocorrerá em todas as regiões do país. É um evento social, sem fins lucrativos, de mobilização nacional acerca do tema. A idealização e coordenação central são da Liga Acadêmica de Trauma e Emergência do Maranhão, no entanto, várias Ligas, que executam importantes trabalhos de divulgação desses conhecimentos em suas cidades, aderiram à causa.

Em todas as cidades que participam do evento, haverá uma estrutura com manequins próprios para treinamento, além de manuais e panfletos informativos padronizados. Médicos, enfermeiros e acadêmicos de medicina estarão presentes nos locais como instrutores. Os pontos de treinamento estarão estrategicamente localizados em locais de grande circulação, como shoppings, universidades e pontos turísticos.

Locais dos eventos e pessoa responsável:

Manaus (AM)

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Amazonense do Trauma, Liga Acadêmica de Emergências Clínicas e Projeto Alfa Manaus

Contato: Paulo Henrique – (92) 9148-4842

 

Palmas (TO)

Local: Capim Dourado Shopping

Horário: 10h às 20h

Data: 29 de agosto

Realização: Liga Universitária Tocantinense de Trauma e Emergência – LUTTE

Contato: Pablo Bringel – (63) 8129-7890

 

São Luís (MA)

Local: Shopping São Luís (Praça de Eventos)

Horário: 10h às 22h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica de Trauma e Emergência do Maranhão – LATE – MA – UFMA

Contato: Filipe Amado – (98) 8129-3567

 

Salvador (BA)

Local: Shopping Bela Vist

Horário: das 9h às 22h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma e Emergência Médica – LAEME – UFBA

Contato: Oddone Braghiroli – (71) 9997-5962

 

Campo Grande (MS)

Data: 06 de setembro

Realização: Liga Acadêmica do Trauma e Emergência Médica – LATEM – UFMS

Contato: Cloves Amorim – (67) 9230-6688

 

Belo Horizonte (MG)

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma de Minas Gerais – LAT – UFMG

Contato: Diomildo Andrade – (31) 9490-3372

 

Rio de Janeiro (RJ)

Local: Shopping Nova América

Horário: 10h às 22h

Data: 29 de agosto

Realização: Liga Acadêmica de Trauma e Emergência – LATE – UFRJ, Liga Acadêmica de Trauma e Emergência da Estácio de Sá – LTEES – RJ, Liga Do Trauma da Universidade Souza Marques

E Liga Acadêmica de Cirurgia, Trauma e Emergência – LACITRE – UNIRIO

Contatos: Bruno – (21) 99712-1232 / Anderson – (21) 96747-5815

 

Campinas (SP)

Local: Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

Horário: 09h às 17h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma da UNICAMP

Contato: Dr. Gustavo Fraga – (contato com AI Patrícia (19) 99284-1970)

 

Alfenas (MG)

Local: Praça Getúlio Vargas

Horário: 9h às 18h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica de Emergência e Trauma da UNIFENAS

Contato: Diego Castro – (35) 8882-1917

 

Porto Alegre (RS)

PONTO DE TREINAMENTO 1

Local: Barra Shopping Sul

Horário: 10h às 22h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma da UFCSPA

Contato: Dante Souza – (51) 8187-9856

 

PONTO DE TREINAMENTO 2

Local: Parque Farroupilha (Redenção)

Horário: 10h às 17h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma da UFRGS

Contato: Pauline Simas – (51) 9567-6521

 

PONTO DE TREINAMENTO 3

Local: Praia de Belas Shopping

Horário: 10h às 22h

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma da PUC-RS

Contato: Eduardo Madalosso – (54) 9128-3752

 

Rio Grande (RS)

Data: 30 de agosto

Realização: Liga Acadêmica do Trauma da FURG

Contato: Andréia Cabral – (53) 8133-1166

 

Assessoria de Imprensa SBAIT

News

SBAIT na mídia | Copa estimulou a formação de rede de médicos no WhatsApp

Um dos legados da Copa do Mundo para o Brasil é uma rede formada no WhatsApp comwhatsapp médicos especializados em acidentes com grande número de vítimas.

São Paulo – Uma rede de médicos especializados em acidentes com grande número de vítimas é um dos legados da Copa para o Brasil. Conectada por Whatsapp, ela vai continuar no ar mesmo após o fim do torneio.

A nova rede é formada por dois grupos no Whatsapp. Um deles reúne 25 médicos que trabalharam na Copa e trocaram fotos e informações sobre o atendimento dos atletas e de torcedores nas imediações dos estádios.

No outro grupo, 48 especialistas ficaram de stand-by para prestarem auxílio em qualquer ocorrência de grande porte que ocorresse durante o evento – o que, felizmente, não aconteceu.

“O WhatsApp é uma ferramenta útil porque permitir que o médico esteja atualizado sobre o que acontece e troque experiência com colegas”, afirmou o médico Gustavo Fraga em entrevista exclusiva para EXAME.com.

Surgimento

Fraga é presidente da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT). De fevereiro a maio, a entidade promoveu um curso à distância sobre atendimento a vítimas após grandes tragédias envolvendo médicos de todas as cidades-sede (com exceção de Belo Horizonte e Cuiabá).

O curso terminou dando origem aos grupos, formados apenas por profissionais filiados à SBAIT. “Depois do curso, médicos interessados no assunto criaram o grupo no WhatsApp para casos que exigissem grande mobilização”, afirmou Fraga.

Durante a Copa, a rede foi acionada em poucas ocasiões – como no último dia 3, quando um viaduto caiu em Belo Horizonte. Segundo Fraga, os membros dos grupos ficaram sabendo do acidente na hora e se prontificaram para ajudar com informações – o que não foi necessário devido ao número mínimo de acidentados.

Neymar

Outro momento de intensa troca de mensagens na rede foi durante o jogo entre Brasil e Colômbia, quando o jogador Neymar fraturou a coluna.

Naquela ocasião, as discussões foram além da questão do atendimento – já que uma enfermeira do hospital que recebeu o atleta filmou sua chegada e compartilhou com um grupo de amigos no Whatsapp, o que terminou resultando na sua demissão.

“Nosso grupo é regido pelos mesmos princípios éticos que a nossa profissão e isso inclui o compromisso de não divulgar as informações que circulam por ali. Trauma também é doença e as pessoas precisam entender isso”, afirma Fraga.

No próximo dia 30, integrantes da SBAIT vão se reunir para fazer um balanço sobre a nova iniciativa. Mas já está certo que ela será mantida daqui para frente. “Foi uma experiência muito boa. A grande vantagem do Whatsapp é que a informação chega muito mais rapidamente”, afirmou Fraga.

Confira link da notícia:

Portal Exame , 16/07/2014 – Copa estimulou a formação de rede de médicos no WhatsApp

News

SBAIT na mídia| Copa: médicos criam grupo no Whatsapp para troca de experiência

Médicos de diversas cidades-sede da Copa do Mundo – inclusive os que atuam diretamente nos estádios – utilizam um grupo criado no Whatsapp (aplicativo de mensagens para celular) com o intuito de compartilhar informações e experiências durante o Mundial.

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado, Gustavo Fraga, explicou que a maioria dos profissionais são cirurgiões, intensivistas, anestesistas e pediatras da rede pública e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“A partir de Santa Maria [incêndio na boate Kiss], a gente viu que os recursos que temos hoje são importantes para mobilizar equipes em diferentes locais. A estratégia acaba levando a um aprendizado para todos os profissionais que participam desse rede”, explicou.

Fraga destacou que, ao final de cada jogo, os profissionais compartilham, por exemplo, o número de atendimentos realizados e a quantidade de pacientes que precisaram ser removidos para um hospital. A maioria dos casos registrados, segundo ele, apresenta dor de cabeça associada à pressão alta, intoxicação, diarreia e consumo de álcool em excesso.

Apesar da baixa demanda por atendimento de pessoas envolvidas em pequenos conflitos, o grupo permanece alerta para acompanhar o jogo de amanhã (25) entre Argentina e Nigéria, em Porto Alegre (RS). O motivo: o grande número de torcedores argentinos no país e a rivalidade entre o país vizinho e o Brasil.

“Nosso grupo está montado e continua até o final da Copa. A ideia é mantê-lo ativo mesmo depois disso, para casos de atendimento em desastres ou acidentes com múltiplas vítimas”, disse. “Afinal, a Copa vai passar, mas os problemas na saúde vão continuar. E os legados na área da saúde vão ser pequenos em relação aos demais”, concluiu.

Fonte: Agência Brasil, 24/06/2014

Matérias relacionadas:

Médicos criam grupo no Whatsapp para troca de experiências durante a Copa ( Estadão Digital, Link , 24/06/14)

Médicos criam grupo no WhatsApp para troca de experiências ( Portal Exame, 24/06/14)

Copa: médicos criam grupo no Whatsapp para troca de experiência ( Portal Info Exame, 24/06/14)

Médicos criam grupo no Whatsapp para troca de experiência durante a Copa do Mundo ( Portal iBahia, 24/06/14)

Copa: Médicos trocam experiências pelo Whatsapp  ( Portal Band, 24/06/14)

Copa: médicos criam grupo no Whatsapp para troca de experiência ( O Repórter, 24/06/14)

 

News

Trabalho dos médicos começa logo pela manhã no jogo Brasil e Camarões

Equipes que atendem no estádio e na Fanfest iniciam atividades às 8h e seguem até depois da partida

Dia de jogo é dia de muito trabalho para os profissionais que atuam nos Postos Médicos Avançados (PMA) na área periférica dos estádios e nas Fanfests. A rotina deles começa logo cedo. Na próxima segunda-feira, no jogo Brasil e Camarões, em Brasília, a partir das 8h, a equipe já está reunida para traçar um briefing do dia. E só retornam à base por volta de 22h.

Por volta das 9h30, sai o comboio para a Fanfest e para o estádio. Às 11h, eles se estabelecem nos Postos Médicos Avançados (PMA´s) e iniciam a montagem do Posto Móvel de Regulação (PMR), estabelecendo contato com todos os Centros de Comando e Controle e com os hospitais. Após o término do evento, as estruturas são desmobilizadas e retornam à base do SAMU por volta de 22h.

O SAMU é responsável pelos atendimentos na área periestádio em todos os dias de jogo. Dentro do estádio, é um serviço privado da FIFA. Cabe também ao SAMU o atendimento nas Fanfests. Em todos eles, a estrutura básica é composta por duas Unidades de Suporte Básico, duas Unidades de Suporte Avançada e quatro Motolâncias, dispostas estrategicamente pela área do evento.

Há, ainda, o PMR, que é um braço da Central de Regulação de Urgências do SAMU, responsável por regular as ocorrências da área do evento e manter contato com as unidades móveis, PMA´s, Hospitais de referência e Centros de Comando e Controle. Em cada estrutura, há cerca de 60 profissionais trabalhando, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, condutores, agentes administrativos e equipe de comunicação social.

“Mas nada disso interfere no funcionamento normal da Central de Regulação 192 do SAMU e das 38 unidades móveis para o atendimento à população”, explica o coordenador do SAMU do Distrito Federal e coordenador do Comitê do Pré-hospitalar da SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado), Rodrigo Caselli.

De acordo com Caselli, toda a estrutura disponibilizada pelo SAMU é móvel e já existente. “Normalmente, ela é utilizada para eventos de massa ou desastres, exceto uma área destinada ao PMA da Fanfest, disponibilizada pela organização do evento”, explica. Ele disse, ainda, que a equipe de Brasília recebeu uma comissão do Qatar, que está fazendo uma avaliação sobre as necessidades para a Copa de 2022. “Ficaram bem interessados na nossa estrutura de comunicação e interação entre as equipes de rua e os centros de comando e controle”, comenta.

É importante destacar que a SBAIT criou um grupo no Whatsapp, com médicos de todo o País, inclusive os que estão atuando diretamente nos estádios, para troca de informações em tempo real sobre o que está acontecendo durante os jogos. Este grupo também está pronto para agir durante a Copa do Mundo em caso de acidentes que envolvam múltiplas vítimas. De acordo com o presidente da SBAIT, Gustavo Fraga, além de trocar experiências, os médicos que fazem parte do grupo podem acionar colegas de profissão para ajudar de forma voluntária no atendimento.

O cadastro do grupo é feito via Internet e demora cerca de um minuto. O profissional que se inscreve responde a várias perguntas, entre elas, o Estado em que atua e se aceita ser voluntário no caso de algum desastre.

Fonte: Assessoria de Imprensa SBAIT

News

SBAIT alerta sobre o uso de fogos de artifício

Além das tradicionais festas juninas, este ano a venda de fogos de artifício tem mais umfogos2 grande aliado: a Copa do Mundo. Se, pelo lado da economia, os números são positivos, pelo lado da Saúde, nem tanto. É comum o registro de acidentes durante o manuseio dos fogos, que podem causar sequelas por toda a vida. Por este motivo, a SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) está alertando a população sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar este tipo de acidente.

Estimativas apontam que uma em cada dez pessoas que mexem com fogos de artifício sofre algum tipo de acidente. Os resultados variam entre queimaduras, lesões nos olhos e no ouvido, amputações e até morte. “Os acidentes com fogos de artifício estão associados a vários tipos de lesões, algumas muito graves, com sequelas irreparáveis”, destaca o presidente da SBAIT e coordenador da Disciplina de Cirurgia do Trauma da FCM (Faculdade de Ciências Médicas) da Unicamp (Universidade de Campinas), Gustavo Fraga.

Em caso de acidente, a pessoa deve lavar o ferimento com água corrente e evitar tocar na área queimada. Outro cuidado que deve ser tomado é não passar nenhuma substância sobre a lesão, como creme dental, pomadas, clara de ovo e manteiga. Em seguida, o ferido deve ser levado à unidade de saúde mais próxima.

Em junho, já é comum o aumento do uso de fogos de artifício em virtude das festas juninas. Com as comemorações dos jogos da Copa do Mundo, as vendas estão ainda maiores. Consequentemente, também aumentam os casos de acidentes com este tipo de produto. De acordo com a Associação Brasileira de Cirurgia da Mão, cerca de 70% dos casos de queimaduras são provocados por artefatos pirotécnicos e 10% das vítimas sofrem amputações, principalmente, das mãos e dedos. As lesões provocadas por fogos de artifício são graves e difíceis de recuperar.

Alguns cuidados que devem ser tomados ao manusear:

– Não segure os fogos de artifício com as mãos. Prenda o rojão sempre em uma armação e fique longe na hora de acendê-lo

– Não insista em acender fogos que falharem

– Dispare os fogos somente ao ar livre, sempre com o cuidado de estar longe de substância inflamáveis ou redes elétricas

– Mantenha um recipiente com água próximo e descarte nele os fogos já usados ou aqueles que falharam, a fim de evitar riscos de novas explosões

– Nunca manuseie fogos após consumir bebida alcoólica

– Confira sempre o certificado de garantia dos fogos

– Leia atentamente as instruções de uso contidas nas embalagens

– Compre fogos de artifício somente em estabelecimentos credenciados pela Divisão de Armas, Munições e Material Explosivo da Polícia Civil. Nunca compre em lojas de fabricação caseira

Fonte: Assessoria de imprensa SBAIT

Fechar