Posts Populares

News

SBAIT apoia Trote da Cidadania da Unicamp – Calouros foram recebidos com curso de primeiros socorros

IMG_2516

Calouros da Unicamp participam do curso de primeiros socorros, uma ação do Trote da Cidadania

Com o apoio da SBAIT, cerca de 500 alunos da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) participaram nesta terça-feira (25/02) do curso de primeiros socorros, organizado pelo CAAL (Centro Acadêmico Adolfo Lutz), da FCM (Faculdade de Ciências Médicas). O evento fez parte do Trote da Cidadania, no entanto, além de calouros, estudantes de diversos outros cursos e séries participaram das aulas.

Sempre divididos em grupos de cinco ou seis pessoas, os alunos assistiam a uma breve IMG_2494palestra e, depois, faziam as manobras com foco na reanimação cardiopulmonar. As orientações foram dadas por membros da Liga de Cirurgia e da Liga de Cirurgia do Trauma da FCM e profissionais do Resgate da CCR AutoBAn, empresa que presta serviços de atendimento a traumatizados no Sistema Anhanguera – Bandeirantes.

A ideia surgiu a partir da carência de informações sobre o tema por grande parte dos estudantes da Unicamp e, segundo o organizador do evento e integrante do CAAL, Eduardo Alher João, o objetivo foi alcançado. “Foi muito legal. Eu fui monitor de um grupo da Medicina e eles adoraram. A gente também falou sobre afogamento, queimaduras… Eles acharam muito legal”, disse.

IMG_2505Para o coordenador da Disciplina de Cirurgia do Trauma da Unicamp e presidente da SBAIT, Gustavo P. Fraga, este tipo de conhecimento pode ser decisivo. “Em situações de urgência, a presença de uma pessoa com conhecimento e treinamento em primeiros socorros pode ajudar muito no acionamento do resgate específico e até mesmo em medidas de suporte básico de vida, que podem ser decisivas na sobrevida de uma vítima”, diz. Ele destaca que, em países desenvolvidos, o curso de primeiros socorros faz parte do currículo de crianças e adolescentes.

O coordenador médico da CCR AutoBAn, José Antônio Coelho, explica que este tipo de DSC_0186 (1)conhecimento pode evitar novos acidentes nas rodovias. “A preocupação de um leigo com a segurança na cena e a comunicação com as equipes especializadas são uma medida inicial que evita outros acidentes e novas vítimas. A população orientada precisa ajudar nesse sentido”, diz.

Matérias relacionadas – Mídia:

Calouros da Unicamp têm aulas de primeiros socorros em ‘trote cidadão’. ( Portal G1, 25/02/14)

Universidade Estadual de Campinas promove o trote cidadania ( SBT/VTV – 25/02/14)

Calouros são recebidos com curso de primeiros socorros ( Portal RAC / IG Paulista , 24/02/14)

News

Estudo realizado em Vitória – ES mostra bom desempenho de alunos da Liga de Trauma

Bom público acompanhou a apresentação

Bom público acompanhou a apresentação

No dia 24 de fevereiro o médico Romeo Lages Simões apresentou na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) o trabalho de conclusão de curso como requisito parcial para obtenção do grau de Cirurgião Geral no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (HUCAM) da UFES. O estudo denominado “Análise comparativa do conhecimento adquirido dos estudantes de medicina pertencentes à Liga do Trauma em relação aos não ligantes” foi orientado pelo Dr. Fernando Antônio Martins Bermudes, e teve a colaboração dos acadêmicos Hudson Silva Andrade, Filipe Machado Barcelos e Breno Pinheiro Rossoni.

A banca que avaliou o trabalho foi presidida pelo Dr. Bermudes e composta pelos professores João Florêncio de Abreu (UFES), Gustavo Peixoto Soares Miguel (UFES) e Gustavo Pereira Fraga (Unicamp). O estudo analítico, descritivo, comparou a aquisição de conhecimento dos estudantes de medicina ligantes da Liga do Trauma da UFES com os não ligantes da UFES, reconhecendo os temas do atendimento ao trauma que os acadêmicos possuem maior domínio, além de avaliar a performance do conhecimento dos dois grupos em relação às cadeiras de graduação: básica (3o, 4o e 5o períodos), cadeira clínica (6o, 7o e 8o períodos) e internato (9o, 10o, 11o e 12o períodos).

Romeo L Simões na arguição

Romeo L Simões na arguição

Os grupos foram compostos por 5 estudantes do 3o ao 12o período, totalizando 50 estudantes por grupo. Foram aplicados dois testes contendo 30 questões cada no decorrer do ano de 2013. Foram analisados no questionário teste os seguintes temas: atendimento pré hospitalar, a sequência mnemônica do ABCDE do trauma durante atendimento primário intra hospitalar, condutas avançadas no trauma e imagem no trauma. A análise dos 50 acadêmicos do grupo Ligantes do Trauma (LT) vs. 50 acadêmicos do Grupo Não ligantes (NLT) mostrou que na prova 1, das 30 questões, a média de acerto do grupo LT foi de 20,64 (DP± 3.17), enquanto que para o grupo de NLT a média de acerto foi de 14.76 (DP± 5.28), mostrando uma correlação estatisticamente significativa (p<0.005) entre os grupos. Já para a prova 2, das 30 questões, a média de acerto para o grupo LT foi de 21.52 (DP± 3.64), enquanto para o grupo de NLT a média foi de 15.36 (DP± 5.29; p<0.005). Na prova 1, observou-se que a média de acerto por grupo de questões, com quatro questões cada tema, apresentou diferença estatisticamente significativa, ao nível de 5%, entre os grupos estudados para todos os temas. Já para a prova 2 evidenciou-se que na média de acerto por grupo de questões não houve diferença estatisticamente significativa nos temas vias aéreas e proteção cervical, além do tema imagem no trauma. Quando os períodos de matriz curricular foram alocados em grupos por períodos correspondentes à cadeira da graduação (básica, clínica ou internato) observou-se que o grupo LT apresentou melhor desempenho de conhecimento em relação ao grupo NLT com significância estatística (p<0.05) para as duas provas.

Fraga, Romeo e Bermudes

Fraga, Romeo e Bermudes

Concluindo, a média de acerto do conhecimento adquirido pelos estudantes de medicina pertencentes à LT mostrou-se maior em relação aos acadêmicos NLT, mostrando que os alunos que frequentaram as atividades da liga acadêmica possuem maior domínio dos temas que são considerados relevantes para o atendimento ao paciente traumatizado. Em todas as cadeiras da graduação da formação acadêmica de medicina básica, clínica e internato, os acadêmicos da LT tiveram maior domínio do tema em relação ao grupo NLT.

 

News

Uso do celular ocasiona aumento no número de atropelamentos e indenizações por invalidez

celular ruaÉ cada vez mais comum encontrarmos pedestres utilizando o celular enquanto caminham. Quer seja conversando, trocando mensagens ou navegando na internet, nas calçadas ou até mesmo na faixa de pedestres, o uso do celular pelo pedestre causa distração e, consequentemente, imprudência. Fato comprovado por pesquisas do DPVAT e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, que apontam o aumento do número de atropelamentos de pedestres. Segundo a pesquisa, 66% dos pedestres entrevistados admitiram que já se distraíram ao atravessar a rua usando o celular.

A consequência é o registro do aumento de casos de invalidez entre os pedestres atropelados. Em cinco anos, o aumento foi de 171% no número de indenizações por invalidez permanente, em atropelamentos.

Outras fontes eletrônicas, como fones de ouvido e viva-voz, também aumentam de 3 a 9 vezes o risco de acidentes tanto entre os motoristas quanto entre os pedestres.

Para pedestres e motoristas, fica o alerta: Trauma é doença e tem prevenção. Mais atenção durante o trânsito pode valer sua vida.

Saiba mais:

Número de atropelamentos aumenta por uso do celular, revela pesquisa ( Bom Dia Brasil, 24/02/14)

Celular com direção tem sido uma praga no Brasil, diz Alexandre Garcia (Bom Dia Brasil, 24/02/14) Blog Vivendo Seguro no Trânsito – Seguro DPVAT, 13/02/14)

Número de indenizações do seguro DPVAT aumenta em 25% no ano de 2013 ( Blog Vivendo no trânsito – DPVAT, 13/02/14)

News

Mais dois sócios SBAIT são aprovados com título de Mestre

Dr Tiago Calderan

Thiago R. A. Calderan

Marcelo, Lourdes, Thiago, Gustavo e Elcio

Marcelo, Lourdes, Thiago, Gustavo e Elcio

No dia 20 de fevereiro de 2014 no programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), avaliado com nota 5 pela CAPES, foi realizado a defesa de dissertação de mestrado para obtenção do título de Mestre em Ciências da Cirurgia por dois associados da SBAIT.

O primeiro a defender a tese foi o médico Thiago Rodrigues Araujo Calderan com o trabalho “Fatores preditivos de morbidade e mortalidade no trauma penetrante do cólon”, que teve como orientador o Prof. Dr. Gustavo P. Fraga, atual presidente da SBAIT, e co orientador o Prof. Dr. Elcio S. Hirano. 

Participaram da banca o Prof. Dr. Marcelo Augusto Fontenelle Ribeiro Junior (UNISA e Diretor da SBAIT SP) e a Profa. Dra. Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono (Unicamp). 

Mario Eduardo F. Mantovani

Mario Eduardo F. Mantovani

Elcio, Andreollo, Mario, José Luis, Gustavo e Gonzaga

Elcio, Andreollo, Mario, José Luis, Gustavo e Gonzaga

 

Na sequência foi realizada a defesa de dissertação do médico Mario Eduardo de Faria Mantovani com o estudo “Perfurações traumáticas do esôfago: fatores preditivos de morbidade e mortalidade”. 

O orientador foi o Prof. Dr. Nelson Adami Andreollo e o co orientador o Prof. Dr. Gustavo P. Fraga. A banca foi composta pelo Prof. Dr. Jose Luis Braga de Aquino (PUC Campinas) e Prof. Dr. Elcio S. Hirano (Unicamp), além do Prof. Dr. José Gonzaga Teixeira de Camargo (PUC Campinas) como suplente. 

Os novos mestres são egressos do programa de Cirurgia Geral Avançado / Cirurgia do Trauma da Unicamp e atualmente são também médicos assistentes da Disciplina de Cirurgia do Trauma da Unicamp.

Uncategorized

Doctor POA – aplicativo será lançado oficialmente nesta quinta-feira

O  aplicativo Doctor POA, idealizado pelo médico e associado da SBAIT-RS, Luciano Eifler, com desenvolvimento de Pedro Chiesa e Gabriel David De Nes, será oficialmente apresentado nesta quinta-feira (20) durante o evento Open Data Day, em Porto Alegre. 

O Doctor POA permitirá ao usuário localizar as unidades de atendimento e hospitais mais próximos, com base em sua posição geolocalizada, além de uma busca por emergências em determinadas especialidades, como traumatologia, cardiologia, etc, e também por unidades públicas ou particulares. Elaborado para atender cidadãos porto-alegrenses e turistas, o aplicativo estará disponível em português, inglês e espanhol.

DoctorPOA 3

Open Data 

O aplicativo é o primeiro criado a partir de dados do DataPOA – o portal de “Open Data” de Porto Alegre, que reúne desde sua criação dados de mobilidade urbana, educação, saúde, entre outros. É a partir destas informações que desenvolvedores e programadores podem criar soluções inteligentes para os cidadãos através de aplicativos para celulares, softwares e plataformas.

O “Open data” ou “dados abertos”,  representam uma tendência mundial de administrações modernas, inteligentes e colaborativas, como nas cidades de San Francisco, Nova York, Londres e Buenos Aires.

O evento “Open Data Day POA”está programado para as 18h00 desta quinta-feira (20), no Nós Coworking, em Porto Alegre.  O debate terá como tema “Como explorar e transformar dados públicos em soluções inteligentes para as cidades” e contará com a presença de especialistas na área e desenvolvedores.

Links para download do aplicativo nos três idiomas :

Português

Espanhol

Inglês

Fonte:

Encontro discute dados abertos em Porto Alegre ( Portal PMPA, 20/02/14)

Open Data passa a ser política pública permanente em Porto Alegre ( Portal PMPA, 20/02/14)

 

Veja o vídeo do lançamento do aplicativo Doctor POA, com Dr Luciano Eifler:

doctor poa video

News

Curso Internacional de Resposta Médica Avançada em Desastres realiza sua terceira aula via telemedicina

2014-02-19 11.31.57

Dr. Bruno Pereira, em sua aula sobre “ABC do Atendimento a Desastres”

Nesta quarta-feira (19), foi realizada a terceira aula do Curso Internacional de Resposta Médica Avançada em Desastres, que contou com o convidado Dr. Bruno Pereira, presidente do comitê de desastres da Sociedade Panamericana do Trauma (SPT), abordando o tema “ABC do Atendimento a Desastres”.

Dr Bruno iniciou a aula apresentando imagens de desastres ocorridos internacionalmente, como o Furacão Katrina e o terremoto no Haiti, ressaltando que, em uma situação de incidente com múltiplas vítimas, o maior desafio na triagem é identificar  a pequena minoria de pacientes graves, que corresponde, geralmente de 10 a 25% do total de vítimas. Para ele, a triagem é a missão mais importante e psicologicamente mais desafiadora da resposta médica a desastres, tanto na fase Pré-Hospitalar como na Intra-Hospitalar.

Durante o atendimento às vítimas, pode ocorrer a integração de equipes de resgate de diversos países, nesse caso, ” o importante é todos falarem a mesma ‘língua’, independente se falam o mesmo idioma”, ressalta Dr Bruno, referindo-se à importância da definição de protocolos únicos de atendimento.

A questão da formação do Centro de Comando foi um dos destaques da aula, gerando grande interação entre os Centros participantes, como o caso dos participantes presentes no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre-RS, que compartilharam sua experiência com a Tragédia da Boate Kiss, apresentando como foi definido o Centro de Comando naquela ocasião.

Para Dr Bruno, “o Brasil possui condições de fazer um atendimento a desastres de alto nível, só precisa realizar mais treinamentos, obter mais recursos e realizar alguns ajustes finos”, finaliza.

2014-02-19 11.32.29

Centros de várias regiões e estados do País participaram da terceira aula do Curso

Participaram da terceira aula, os Centros:

UFSC (SC), INTO (RJ), UJFJ ( Juiz de Fora-MG), UFJF – HU ( Uberlândia-MG), HULW-UFPB ( João Pessoa-PB), Hospital Moinhos de Vento ( Porto Alegre-RS), Hospital José Frota ( Fortaleza-CE), Hospital Miguel Arraes (Grande Recife-PE), UFTM (Uberaba – MG) , Hospital das Clínicas -UNICAMP ( Campinas – SP), Hospital Risoleta Neves ( MG).

Para Dr Gustavo Fraga,  presidente da SBAIT, ainda há muito o que fazer, mas o caminho já começou a ser trilhado, com a integração e mobilização de profissionais de diferentes áreas, dos Centros de todo o país, que avançam as discussões dentro de seus serviços sobre como atuar em casos de situações adversas. 

O curso é realizado em parceria com a SPT ( Sociedade Panamericana do Trauma) e RUTE (Rede Universitária de Telemedicina) e abordará temas relevantes para o atendimento em desastres, como descontaminação, resposta psicológica, agentes radioativos, biológicos e químicos, lesões por explosão e por esmagamento, entre outros.

As aulas ocorrem sempre às quartas-feiras, das 11h30 às 13h00. Os inscritos recebem o Manual de Resposta Médica Avançada.

A próxima aula será dia 26/02 . Saiba como inscrever seu Centro clicando aqui.

News

Grande Vitória realiza seu primeiro P.A.R.T.Y. de 2014

Palestra do Capitão Isaac - Batalhão de Trânsito

Palestra do Capitão Isaac – Batalhão de Trânsito

O programa P.A.R.T.Y (Prevent Alcohol and Risk-Related Trauma in Youth) foi desenvolvido com a finalidade de se reduzir os riscos de acidentes de trânsito relacionados ao consumo de álcool. Em janeiro de 1986, uma enfermeira do Hospital Sunnybrook’s da cidade de Port Perry, Canadá, iniciou este projeto motivada pela alta incidência de acidentes automobilísticos em jovens desta cidade.

Atualmente, o programa P.A.R.T.Y já direcionou sua mensagem a mais de 1 milhão de jovens e continua a crescer internacionalmente. O Brasil aparece em 5º lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito. Além disso, os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade, e, segundo Ministério da Saúde, 21% dos acidentes de trânsito estão relacionados ao uso de álcool. Assim, tornou-se perceptível a necessidade de se reproduzir o programa P.A.R.T.Y no país.

Pioneiro na execução do programa P.A.R.T.Y no Brasil, o estado de São Paulo conta com dois núcleos difusores da proposta de conscientização de jovens condutores acerca dos riscos associados a combinação entre bebida alcoólica e direção: Campinas-SP e Ribeirão Preto-SP .

Visita à enfermaria do HEJSN

Visita à enfermaria do HEJSN

A LAITE (Liga de Atendimento Integrado ao Trauma e à Emergência) expandiu o programa para o Estado do Espírito Santo, mais especificamente para a Grande Vitória (Região Metropolitana), local este que experimentou um aumento alarmante do número de vítimas fatais de acidentes de trânsito de 89 em 2005 para 239 em 2010, segundo DataSUS.

Com a proposta de intensificar a sua atuação com um maior número de eventos por ano, o P.A.R.T.Y-ES iniciou suas atividades do ano de 2014 no dia 11 de fevereiro no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, referência de trauma da região, com a participação de 54 calouros do curso de Medicina da EMESCAM.

Realização do pós-programa

Realização do pós-programa

A introdução ao P.A.R.T.Y ocorreu com a aplicação de um teste pré-programa aos alunos. O questionário continha perguntas sobre o consumo de bebidas alcoólicas, condução de veículos, leis de trânsito e noções de primeiro socorros para avaliar a percepção e o conhecimento dos alunos sobre os assuntos.

A abertura oficial do evento foi realizada pelo Dr. Cláudio Borges, diretor do P.A.R.T.Y-ES, às 14 horas. O principal tema abordado foi a importância de uma postura ativa do acadêmico frente à sociedade, no que tange à difusão de conhecimento e conscientização da população. Além disso, Dr. Cláudio explicou o cronograma do programa e informou aos jovens normas de segurança e ética no ambiente hospitalar.

Foto de encerramento - Ligantes da LAITE e Calouros de Medicina EMESCAM

Foto de encerramento – Ligantes da LAITE e Calouros de Medicina EMESCAM

Posteriormente, o Capitão Isaac do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do ES iniciou sua palestra informando que estatísticas nacionais indicam aproximadamente 40.000 vítimas fatais de acidentes de trânsito por ano no Brasil. Aliás, cerca de 90% desses acidentes registrados têm como fator causal o erro humano. Segundo o Capitão Isaac, a combinação entre álcool e direção é a 2ª associação mais frequente nos acidentesautomobilísticos. Acredita-se, outrossim, que essa conduta de risco só não ocupe o primeiro lugar nas causas de acidentes de trânsito pois há subnotificação, seja por negativa da realização do teste etílico pelo bafômetro ou por causas diversas.  

Texto e imagens: P.A.R.T.Y. Grande Vitória-ES

News

SBAIT PR: criado o novo Capítulo em Curitiba

2014 PR Dr Luiz Carlos, Flávio, Fábio, Aline, Adonis, Carlos e João Henrique - da esquerda pra direita

Dr Luiz Carlos, Flávio, Fábio, Aline, Adonis, Carlos e João Henrique – da esquerda pra direita

Foi realizada em Curitiba no dia 15 de fevereiro de 2014 a eleição e subsequente posse da diretoria do recém criado capítulo do Paraná da SBAIT. O evento ocorreu na sede da Associação Médica do Paraná, em sessão conjunta com o Capítulo do Paraná do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC). Após o evento houve almoço de confraternização contando com a presença da diretoria eleita da SBAIT, diretoria empossada do capítulo do Paraná e novos membros do CBC, além do Dr. Fernando Cesar David Silva, 1º vice-presidente do CBC, que veio do RJ como representante da presidência.

2014 PR Dr. Fernando Cesar David Silva, 1º vice-presidente do CBC, em discurso em Curitiba

Dr. Fernando Cesar David Silva, 1º vice-presidente do CBC, em discurso em Curitiba

Foi ressaltado durante o encontro o difícil momento pelo qual passa a classe médica brasileira e que é necessário mais que nunca sua união em prol da melhoria das condições para o exercício da Medicina em nosso país e na melhoria da qualidade dos serviços oferecidos à população. Foi destacado o importante papel das sociedades médicas, entre elas o CBC e a SBAIT, neste processo.

A nova diretoria do capítulo do Paraná assume o mandato com a intenção de implementar ações que contribuam avanço do atendimento ao trauma no estado, congregando os envolvidos no ambiente hospitalar e pré-hospitalar, seguindo as orientações da diretoria nacional da SBAIT, na figura do Dr. Gustavo P. Fraga, e se integrando aos demais capítulos regionais da SBAIT.

2014 PR Novos membros e diretoria do CBC e da SBAIT

Novos membros e diretoria do CBC e da SBAIT

Estiveram presentes à sessão os seguintes membros da SBAIT: Fábio H. de Carvalho (diretor), Luiz Carlos Von Bahten (vice-diretor) e Cristiano Silva Pinto (tesoureiro), Paola Zarur Varela, Aline Von Bahten, Adonis Nasr, Flávio Daniel Saavedra Tomasich, Carlos Neufel e João Henrique Felício de Lima. A secretária eleita, Silvania Klug Pimentel, não pode estar presente por motivo de força maior.

Mais informações sobre a SBAIT – PR em Capítulo SBAIT-PR

News

Tese de Doutorado sobre choque e coagulopatia na UFMG

Dr Paulo Carreiro na arguicao para a banca

Dr Paulo Carreiro na arguicao para a banca

No dia 14 de fevereiro de 2014 foi apresentado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Cirurgia e Oftalmologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, a tese de Doutorado do Membro da SBAIT Dr. Paulo Roberto Lima Carreiro.

O estudo denominado “Efeitos do fator XIII da coagulação, isolado e em associação à desmopressina e à hipotensão permissiva, em modelo de choque hemorrágico não controlado em coelhos” teve como orientador o Prof. Dr. José Renan da Cunha Melo e Co-orientador o Prof. Dr. Daniel Dias Ribeiro.

Banca e orientadores (esq para dir) com os Drs Edson, Sandro, Jose Renan, Daniel, Paulo, Vivian e Gustavo

Banca e orientadores (esq para dir) com os Drs Edson, Sandro, Jose Renan, Daniel, Paulo, Vivian e Gustavo. Fonte:Arquivo SBAIT

A banca foi composta pelos professores José Renan (presidente), Edson Samesima Tatsuo (UFMG), Vivian Resende (UFMG), Sandro Scarpelini (FMRP – USP) e Gustavo Pereira Fraga (Unicamp).

O estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do fator XIII (FXIII) utilizado isoladamente ou em associação à hipotensão permissiva (HP) e à desmopressina (DDAVP) sobre a hemostasia. Foi utilizado modelo de choque hemorrágico não controlado em coelhos e 54 animais randomizados em 9 grupos (n=6): Grupo 1 – Sham (GS), Grupo 2 – FXIII mais reposição volêmica normotensiva (FXIII / RVN), Grupo 3 –FXIII / HP, Grupo 4 – FXIII / DDAVP / RVN, Grupo 5 – FXIII / DDAVP / HP, Grupo 6 – RVN, Grupo 7 – FXIII sem choque, Grupo 8 – FXIII / DDAVP sem choque e Grupo 9 – HP. Amostras de sangue foram colhidas no início e ao final do experimento e submetidas à tromboelastometria (ROTEM®).

Dr Paulo Carreiro durante a aula

Dr Paulo Carreiro durante a aula

Os autores concluíram: 1. A reanimação volêmica normotensiva sem o uso de nenhuma droga pró-coagulante constituiu a pior estratégia de reanimação e compromete a coagulação; 2.A hipotensão permissiva é a intervenção com melhor efeito sobre a coagulação; 3. O FXIII utilizado isoladamente no tratamento do choque hemorrágico melhora a coagulação e seu efeito é otimizado pela DDAVP; 4. A administração simultânea de FXIII e DDAVP protege contra os efeitos deletérios da reanimação normotensiva; e 5. A reanimação com hipotensão permissiva reduz o sangramento abdominal quando comparada à reanimação normotensiva, independentemente do uso de FXIII e DDAVP.

O Dr. Paulo Carreiro foi aprovado e a SBAIT parabeniza o seu associado, que também trabalha no Hospital João XXIII, pelo título de Professor Doutor recebido pelo conceituado programa de Pós Graduação da UFMG

News

Centros de SP, MG, SC, RJ, CE, PE, PB, participam da segunda aula do Curso Internacional de Resposta Médica Avançada em Desastres

20140212_121139

12 Centros de vários Estados do país participaram da segunda aula do Curso

“Como estar preparado para atender situações de desastres”, foi o tema da segunda aula do Curso Internacional de Resposta Médica Avançada em Desastres que reuniu, nesta quarta-feira (12), aproximadamente 100 participantes, de 12 centros de várias regiões e estados do país.

O convidado Dr Edison do Valle Teixeira Jr, cirurgião geral, diretor médico do SIATE Curitiba, consultor técnico da Força Nacional do SUS – MS  e autor do livro “Trauma – Atendimento Pré-hospitalar”, responsável pela aula, compartilhou com os presentes sua experiência , especialmente em treinamentos e implantação de protocolos de atendimento a acidentes com múltiplas vítimas.  

Dr Edison ressaltou a importância da elaboração do Plano Nacional de Desastres, que propiciaria o alinhamento entre Estados e Regiões, estabelecendo um único protocolo, o que favoreceria uma atuação uniforme em todo o país.

Para ele, “Quanto mais rápida a capacidade de resposta e atendimento, menores serão os óbitos e sequelas. Os treinamentos propiciam minimizar as vulnerabilidades, observar os equívocos e oportunidades de melhorias, respondendo de maneira adequada aos mais variados tipos de acidentes” .  Em sua opinião, os pequenos simulados, com poucas vítimas, realizados rotineiramente, são muito eficazes, contribuindo para minimizar os erros no atendimento.

2014-02-12 12.02.09

Participantes do Hospital das Clínicas /UNICAMP (Campinas – SP)

Respondendo a uma questão de um dos Centros participantes, Dr Edison reforçou a importância de criar um mapa de vulnerabilidade local, com uma avaliação de todos possíveis riscos de um região específica, levando em consideração as indústrias químicas existentes, situações de inundações, deslizamentos, vendavais, etc. Em seguida, comparar com a série histórica dos eventos ocorridos ao longo dos últimos anos, traçando os riscos que devem ser priorizados para a montagem de um plano de contingência.

Participaram da segunda aula, os Centros:

COVISA (SP), UFSC/ SAMU (SC), INTO (RJ), UJFJ ( Juiz de Fora-MG), UFJF – HU ( Uberlândia-MG), HULW-UFPB ( João Pessoa-PB), Hospital Moinhos de Vento ( Porto Alegre-RS), Hospital José Frota ( Fortaleza-CE), Hospital Miguel Arraes ( Grande Recife-PE), UFTM (Uberaba – MG) , Hospital das Clínicas -UNICAMP ( Campinas – SP), Hospital Risoleta Neves ( MG).

Para o presidente da SBAIT, Dr Gustavo Fraga, “o objetivo já está sendo alcançado, com a mobilização de cada vez mais centros participantes, promovendo a discussão dentro de seus serviços. O Brasil ainda é muito vulnerável e precisamos estar preparados para a ocorrência de acidentes com múltiplas vítimas”.

O curso é realizado em parceria com a SPT ( Sociedade Panamericana do Trauma) e RUTE (Rede Universitária de Telemedicina) e abordará temas relevantes para o atendimento em desastres, como descontaminação, resposta psicológica, agentes radioativos, biológicos e químicos, lesões por explosão e por esmagamento, entre outros.

As aulas ocorrem sempre às quartas-feiras, das 11h30 às 13h00. Os inscritos recebem o Manual de Resposta Médica Avançada.

A próxima aula será dia 19/02 . Saiba como inscrever seu Centro clicando aqui.

Fechar