Categoria

News

News

Cirurgião baiano cria boletim diário sobre coronavírus com diversas informações complementares

Inicialmente, dados eram apenas para tranquilizar a família, mas resultado foi tão positivo que ficou disponível para toda a população

O cirurgião do trauma e diretor da SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) André Gusmão, de Salvador, criou um boletim epidemiológico sobre coronavírus, focado na capital baiana, mas com informações da situação mundial, do país e da Bahia, além de notícias, dicas e orientações sobre a pandemia. Com 11 páginas, o boletim, que é diário e já chegou à sua 100ª edição, pode ser acessado no site www.boletimcovid19.webnode.com.

Gusmão conta que a ideia do boletim surgiu no início da pandemia, quando ele viu que seus familiares e amigos estavam muito apreensivos com a situação e, portanto, em sua opinião, precisavam de informações mais concretas e contextualizadas sobre o problema. Ele sentiu essa mesma necessidade no ambiente de trabalho e decidiu compilar os dados oficiais em um único local. “O trabalho foi crescendo e as pessoas começaram a me pedir o boletim diariamente. Eu fui recebendo muitas sugestões até chegar no formato atual”, conta o cirurgião. “E percebemos que essas informações começaram a deixar as pessoas mais tranquilas”, observa.

Inicialmente, o boletim era repassado aos parentes e amigos mais próximos, além dos moradores do seu condomínio e de algumas pessoas no trabalho. Depois, foi crescendo, ganhou espaço no site e começou a ser compartilhado em muitos grupos de WhatsApp. Para a realização deste trabalho, ele também conta com a colaboração com a ajuda da infectologista Andréa Gusmão Cunha, do cirurgião Ricardo Cima, que elabora os gráficos do boletim, e do estudante de medicina João Henrique Fonseca do Nascimento, que criou o site ontem são publicados os dados.

O boletim só utiliza dados oficiais e disponibiliza todas as suas fontes para que as pessoas possam acessá-las. Ele conta com informações sobre total de casos de infectados, novos casos diários, total de óbitos e novos óbitos diários, em Salvador, Bahia, Brasil e mundo. Também há informações de várias capitais para que possa ser feito um comparativo da situação na Bahia.

Além disso, ele também disponibiliza informações sobre recuperados e sobre ocupação de leitos do SUS (Sistema Único de Saúde) na Bahia. O boletim ganhou, ainda, um espaço com as principais notícias a respeito do tema e até uma lista com os laboratórios que realizam a coleta do exame de COVID-19 de forma domiciliar, em Salvador e em Feira de Santana.

O boletim elaborado por Gusmão também disponibiliza, entre outras informações, o número do Disque-coronavírus, regras de etiquetas respiratória, cuidados com idosos, isolamento domiciliar e o que a pessoa deve fazer quando apresenta sintomas da doença. “Eu sempre busco informações oficiais para não ter interpretações diferentes. Disponibilizamos muitos gráficos, que nos ajudam a ter uma boa ideia da situação atual, apesar de a incidência no Brasil não ser fidedigna porque isso depende de testagem, e a nossa é muito baixa”, explica. Por este motivo, ele preferir analisar a pandemia através dos óbitos registrados.

Na sua avaliação, o País está entrando em um platô. “Esse platô não significa um pico, como já aconteceu em outros países. E a tendência é que platô demore mais tempo para acabar”, comenta.

Informações à Imprensa:
Capovilla Comunicação
Patrícia Capovilla
(19) 99284-1970

News

São José dos Campos – Ala COVID obtém 100% de sucesso em procedimentos de emergência

No Hospital Municipal de São José dos Campos, 18 integrantes que compõem a equipe da sala de trauma se revezam no box de emergência da ala criada exclusivamente para receber as pessoas com exames positivos ou suspeitas de ter a doença.

Desde 8 de abril o grupo se juntou aos demais médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem no destacamento avançado de combate à pandemia. Ali todos os profissionais de saúde desempenham o papel fundamental de salvar vidas e recuperar os acometidos pela síndrome respiratória.

No primeiro mês de atuação no box de emergência, para onde vão os casos mais sérios após a triagem, o balanço é de êxito em todos os procedimentos, sem nenhuma contaminação dos profissionais.

Confira detalhes:

https://www.sjc.sp.gov.br/noticias/2020/maio/14/ala-covid-obtem-100-de-sucesso-em-procedimentos-de-emergencia/?fbclid=IwAR3NamQH_Hh1UgsHQSJuqyS-a566ng9-HKCEh3axz_RUjGYlL2AE73-BgoQ

News

COVID-19 : Membro da SBAIT participa de Missão em Manaus

O membro da SBAIT, Luciano Eifler,  embarcou no dia 05 de maio com equipe médica do Rio Grande do Sul para Manaus (AM), em  apoio às vítimas da COVID-19.

A equipe retornou dia 13 de maio à Porto Alegre, depois de ter atuado em dois hospitais, sendo um de campanha.

Luciano Eifler, membro da SBAIT, com equipe médica do RS em Manaus apoiando as vítimas da COVID-19

 

Imagem: Arquivo pessoal

 

News

Nota de Pesar – Dr. Nilton Roberto Martines

A SBAIT lamenta profundamente o falecimento do Dr. Nilton Roberto Martines nesta segunda-feira, 20 de abril, em Olímpia/SP.

Aos 70 anos de idade, tendo dedicado mais de 45 deles ao exercício da medicina, Dr Nilton sempre foi um grande Cirurgião do Trauma e de Urgências, com participação ativa em congressos e eventos médicos de todo o país, sempre mostrando os casos tratados na sua querida Olímpia. Ficará registrado na história da SBAIT por sua competência, sabedoria e amizade.

Registramos nossa gratidão por todos os momentos compartilhados e nossos sentimentos à família.

News

SBAIT alerta sobre perigos de brincadeira que causa queda

Vítima pode sofrer lesões graves, com sequelas permanentes, e até morrer

A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) está fazendo um alerta sobre os perigos da “brincadeira” que está circulando nas redes sociais e nos grupos de Whatsapp, em que duas pessoas provocam a queda de uma terceira. O forte impacto no chão pode causar ferimentos graves, com lesões permanentes, e até a morte. Para a entidade, é fundamental que os pais conversem com seus filhos sobre as consequências.

Os vídeos, com várias pessoas praticando a “brincadeira” se tornaram viral e ganharam grande repercussão. A dinâmica é colocar três pessoas lado a lado. As que ficam na lateral pulam e pedem para que a do meio faça o mesmo. Mas, ao saltar, as outras duas passam o pé na perna da vítima, que perde seu ponto de sustentação e cai imediatamente, na maioria das vezes, batendo a cabeça no chão.

“Este é um tipo de trauma que pode ter consequências muito graves. As principais são o traumatismo cranioencefálico e o trauma raquimedular. O primeiro pode causar hemorragias intracranianas, coma e morte. Já o segundo pode causar tetraplegia, deixando a pessoa em uma cadeira de rodas por toda a vida”, explica o presidente da SBAIT, Tércio de Campos, que também é cirurgião do Trauma.

De acordo com ele, nem sempre os sintomas de que algo mais grave aconteceu aparecem logo após a queda. Por isso, os pais precisam ficar atentos. “Se houver perda de consciência, algum tipo de confusão mental ou dificuldade para se movimentar, é necessário procurar ajuda médica imediatamente. Nesses casos, o melhor é acionar o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), pelo telefone 192, que, além de prestar os primeiros-socorros, saberá como transportar a vítima em segurança. Também é muito importante não movimentar a pessoa que sofreu a queda porque, se houver uma lesão, ela pode se agravar”, orienta.

“E mesmo que não ocorra algo grave no começo, é fundamental ficar atento a outros tipos de sintomas, como sinais de dor de cabeça, náuseas, sono em excesso, convulsão, sangramento nasal, na boca ou nas orelhas… Qualquer um desses sinais exige uma investigação médica o quanto antes”, reforça.

Campos explica, no entanto, que como em outros tipos de trauma, o mais importante é a prevenção. “Os pais, cuidadores e professores precisam conversar e orientar crianças e adolescentes sobre esse perigo. O que parece uma simples brincadeira pode mudar a vida de muita gente em um segundo. Portanto: oriente seu filho a não praticar isso com os colegas e a não ser submetido a essa brincadeira”, afirma o presidente da SBAIT.

Sobre a SBAIT:

A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) reúne cirurgiões do trauma em todo o País, focando grande parte de seus esforços em políticas de prevenção, já que o Trauma é uma doença prevenível, em mais de 90% dos casos. Trauma é toda lesão causada por um fator externo, como violência, ocorrência de trânsito, queda, etc.

Informações à Imprensa:
Capovilla Comunicação
Patrícia Capovilla
(19) 99284-1970

 

Crédito imagem em destaque: G1

News

Encontro apresenta ao ministro da Infraestrutura propostas do Seminário de Mobilidade – Rodovias que perdoam

No dia 31 de outubro, o Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas recebeu diretores do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), parceiro SBAIT, para discutir , entre outros assuntos,  o resultado do 2º Seminário de Mobilidade Humana, Segura e Sustentável – Rodovias que Perdoam, realizado em 12 de setembro e que contou com a presença do presidente da SBAIT, Dr. Tercio de Campos, representando a Sociedade juntamente com outras Sociedades Médicas e Instituições interessadas no tema.

Também participaram do encontro o diretor-geral do Denatran, Jerry Adriane Dias, o secretário nacional de Transportes Terrestres interino, Marcello da Costa e a coordenadora-geral de Planejamento, Gestão e Controle do Denatran, Marcela Laíz.

No documento estão as propostas sugeridas para que as estradas brasileiras adotem o que há de mais moderno em segurança nas rodovias já usadas em outros países. O ministro comprometeu-se em encaminhar internamente – no Ministério da Infraestrutura -, o uso do mesmo nas concessões de rodovias que virão a partir de 2020.

Ações sugeridas pelo seminário:

1.      CRIAR um comitê permanente de segurança em vias e rodovias, composto pelos órgãos públicos (engenharia e de controle), iniciativa privada e sociedade civil organizada. (Ministério da Infraestrutura, ANTT, DNIT, TCU, ABEETRANS, ABSEV, ONSV, ETC).

2.      APRESENTAR 2020/2030 com as ações e implementações que serão introduzidas em todas as etapas, (projeto/construção/entrega/auditoria/fiscalização /novas tecnologias) com data e responsável.

3.      REVISITAR todos os atuais manuais, diretrizes, normas e procedimentos de construção de rodovias no país, com o olhar da segurança viária e de atendimento ao complaice : do projeto a construção, da fiscalização aos produtos e serviços empregados na rodovia.

4.      REDIGIR diretrizes de fiscalização e auditoria, geridos por “flags de controle” onde as rodovias novas e em operação serão avaliadas periodicamente.

5.      AMPLIAR as concessões de rodovias à iniciativa privada exigindo o atendimento a todas as etapas regidas no contrato de concessão, com ênfase na segurança viária, atendendo aos requisitos da OMS/ONU, ao qual o Brasil é signatário.
6.      EXIGIR a rigidez dos controles do projeto a execução no que tange ao cumprimento das normas e procedimentos, antes, durante e após a finalização da rodovia.

7.      CRIAR políticas de incentivo para a introdução de novas tecnologias (produtos e serviços) com o propósito de promover uma segurança viária de primeiro mundo.

8.      CERTIFICAR que sejam utilizados somente produtos e serviços, normatizados e homologados, e que apresentem, comprovadamente, sua eficácia e eficiência.

9.      PREVER que a assistência dada a vítimas de acidentes de trânsito em rodovias, tenham um atendimento pós resgate,  em um centro de atendimento às vítimas de traumas decorrentes de acidentes, com equipes multidisciplinares de socorro com profissionais especializados para estes atendimentos,

10.   REFORÇAR a fiscalização pela PRF, principalmente nos pontos das rodovias federais classificados como de alto risco de acidentes.

Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas – crédito ONSV

Informações e imagens: http://www.onsv.org.br/

News

Laparoscopia em cirurgias de emergência e trauma garante precisão no tratamento e diminui tempo do paciente em hospital

Vítimas de acidentes de trânsito são os principais atendidos por cirurgiões da especialidade

Hoje, o trauma representa a principal causa de morte na população abaixo de 40 anos no mundo, sendo também responsável pela maior causa de invalidez permanente para homens e mulheres com menos de 50 anos. Diariamente, milhares de pacientes em situação de emergência por complicação de doenças ou vítimas de traumas, ocasionados pelos mais diversos tipos de acidentes, são atendidos em hospitais, por isso cada vez mais é necessária atualização e qualificação especializada dos cirurgiões para que a tomada de decisões seja assertiva a fim de preservar a vida dos pacientes. Neste sentido, aliada as já consagradas modalidades de tratamento em cirurgia do trauma, a laparoscopia auxilia tanto no diagnóstico preciso quanto no tratamento, além de proporcionar recuperação mais rápida e diminuir o tempo dos pacientes nos hospitais.

Dr. Marcelo Ribeiro em curso no IRCAD Barretos

De acordo com o diretor do curso de Emergência e Trauma do IRCAD América Latina (Instituto de Treinamento em Técnicas Minimamente Invasivas), unidade Barretos, secretário geral da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado e professor titular da UNISA, Marcelo Ribeiro, as cirurgias de trauma e emergência representam um grande desafio, mesmo para os cirurgiões mais experientes, por isso é importante que os cirurgiões estejam sempre atualizados.

Nos dias 13 e 14 de junho, será ministrado curso avançado para cirurgiões de todo Brasil, onde além de ricas discussões de casos com especialistas do Brasil, Estados Unidos e Colômbia, será permitido aos alunos o treinamento de manobras em cirurgia do trauma assim como na abordagem laparoscópica para tratamentos agudo e de trauma, “a laparoscopia diagnóstica dá maior precisão no diagnóstico de lesões principalmente nas vítimas de trauma que se encontrem estáveis e também pode, por exemplo, excluir a necessidade de cirurgias com grandes incisões como a laparotomia, sendo a via laparoscópica um procedimento que acelera a recuperação do paciente e diminui sua permanência no hospital”, disse.

Entre as doenças mais comuns nos atendimentos de emergência estão apendicite, pancreatite, diverticulite, colecistite entre outras, já entre as situações de trauma, as principais ocorrências são com as vítimas de acidentes de trânsito, que, segundo o Conselho Federal de Medicina, mandam para o hospital 20 pacientes a cada hora no Brasil, além de ferimentos por armas de fogo e arma branca, quedas, queimaduras e acidentes em geral.

News

Serviço de atendimento exclusivo a pacientes com trauma é criado em Hospital Municipal de São José dos Campos/SP

O Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, mantido pela Prefeitura de São José dos Campos em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), inaugurou nesta terça-feira (14) o novo serviço de atendimento exclusivo para pacientes com trauma.

O objetivo é centralizar o atendimento primário destes pacientes em um único espaço, sob os cuidados de equipe especializada própria, formada por cirurgião 24h, dois técnicos de enfermagem e um enfermeiro.

Antes, as vítimas de trauma normalmente levadas à emergência pelas unidades do Samu e Bombeiros, eram encaminhadas para a sala vermelha juntamente com outros pacientes em estado grave. Com o novo fluxo e uma equipe exclusiva, focada para estes casos, o atendimento será mais rápido e resolutivo.

O espaço pode receber até três pacientes ao mesmo tempo, que ficarão no local por até 1 hora, para estabilização, até que sejam encaminhados para outros procedimentos mais invasivos, dependendo da gravidade do quadro.

Por mês, o Hospital Municipal, atende cerca de 1.000 pacientes vítimas de trauma em seu pronto socorro.

 

Informações: http://www.sjc.sp.gov.br

Imagem: Crédito: Charles de Moura/PMSJC

News

NOTA DE PESAR: Dr. Donald D. Trunkey

Dr. Donald D. Trunkey (1937-2019)

A SBAIT lamenta informar o falecimento do Dr. Donald D. Trunkey, FACS, um dos maiores ícones da Cirurgia do Trauma.

Dr. Donald D. Trunkey. Dr. Trunkey serviu como Presidente do Comitê ACS sobre Trauma de 1982-1986 e como Presidente da Associação Americana para a Cirurgia do Trauma 1986-1987. Em 1976, o Dr. Trunkey conduziu os esforços do COT para publicar o ” Optimal Hospital Resources for the Care of the Seriously Injured”– o primeiro documento destinado a definir e desenvolver centros de trauma e sistemas de trauma.

Dr. Trunkey, MD, FACS foi um pioneiro no desenvolvimento do sistema de trauma, publicando trabalhos seminais sobre o impacto do desenvolvimento de sistemas de trauma na morte evitável. Um momento crítico na carreira do Dr. Trunkey foi quando ele publicou um artigo em 1979 sobre as taxas de mortalidade de pacientes vítimas de trauma no Condado de Orange, na Califórnia, em comparação com os do condado de São Francisco. Foi uma das primeiras e mais persuasivas evidências sobre a eficácia dos centros de trauma. Sua mensagem era inabalável: os pacientes feridos merecem o melhor atendimento disponível no trauma, e o melhor atendimento inclui um sistema de trauma organizado.

O Dr. Trunkey cresceu na zona rural de Eastern Washington e foi ex-aluno da University of Washington Medical School. Fez um estágio rotativo na Universidade de Oregon e depois serviu no Exército dos EUA de 1964 a 1966. Ele foi Chefe do Centro de Queimados da UCSF e havia estabelecido um laboratório para estudar mecanismos de choque no nível celular. Em 1986, ele foi recrutado de volta à Oregon Health Science University, onde atuou como Professor Mackenzie e Presidente do Departamento de Cirurgia de 1986 a 2001.

Cinco anos depois de seu mandato como presidente, o Dr. Trunkey foi ativado do status de reserva para militar ativo para servir na primeira Guerra do Golfo em 1991. Ele estava estacionado em Riad, na Arábia Saudita durante a Operação Tempestade no Deserto e Escudo do Deserto. Ele lidou com uma série de obstáculos operacionais e culturais que o levaram a publicar um comentário na edição de março de 1993 do Archives of Surgery chamado “Lessons Learned”. Este documento abriu o caminho para como o Departamento de Defesa dos EUA treina seu pessoal de trauma hoje.

Em 2008, ele recebeu o prêmio King Faisal em medicina por sua pesquisa para melhorar o atendimento ao trauma. Ele tem muitos outros prêmios, incluindo o Distinguished Service Award do Colégio Americano de Cirurgiões, o Distinguished Alumnus Award da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual de Washington, o Prêmio Barry Goldwater Service, o Prêmio International Society of Surgery, Associação Honorária da Associação Britânica de Acidentes e Medicina de Emergência e Bolsas dos Royal Colleges of Surgeons da Inglaterra, Irlanda, Edimburgo, Glasgow, África do Sul e Brasil, Medalha do Royal College of Medicine of England e Professor Honorário do Royal College of Surgeons of Edinburgh. Em 2005, ele entregou o Orçamento de Scudder sobre Trauma intitulado Trauma em transição: Uma Viagem Fantástica. Em 2018, ele recebeu o prêmio Icons in Surgery do American College of Surgeons .: https://www.youtube.com/watch?v=vVN0laPGF24&feature=youtu.be

Acima de tudo, o Dr. Trunkey é lembrado por sua gentileza, apoio e orientação a toda uma geração de cirurgiões do trauma.

 

*Informações e imagem: American Association for the Surgery of Trauma

Fechar