Categoria

APH

APH, Cursos

“Acidentes com Produtos Perigosos” é o tema do 2º módulo do III Curso de Atualização em Atendimento Pré-Hospitalar

O Projeto de Educação Médica Continuada do CRM-PR, em parceria com o SIATE CURITIBA/SMS/SESA e com a SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado), promove no dia 17 de abril, às 20h, o 2º módulo do III Curso de Atualização em Atendimento Pré-Hospitalar.

Com o tema “Acidentes com Produtos Perigosos”, o evento é aberto a médicos, estudantes de Medicina, socorristas emergencistas e enfermeiros e a participação pode ser presencial, na sede do Conselho em Curitiba, ou via web.

Para participar, preencha o formulário de inscrição no fim da página e informe o tipo de participação (presencial ou online). A transmissão online é disponibilizada no site do CRM-PR no dia do evento e a sala virtual abre 1h antes do início da aula. Confira os pré-requisitos técnicos para garantir uma boa conexão.

Programação:

19h30 | Credenciamento

20h00 | Palestrante: Dr. Edison Vale Teixeira Júnior (CRM-PR 10.949)

20h30 | Palestrante: Jonas Emmanuel Benghi Pinto
Major do Corpo de Bombeiros da PMPR

21h00 |Mesa de Debates 
Moderador: Dr. Ricardo Cesar Geenen Accioly Pinto (CRM-PR 8.412)
Debatedores:
Dr. João Claudio Campos Pereira (CRM-PR 23.032)
Dr. Michele Mamprim Grippa (CRM-PR 21.828)

22h30 | Encerramento


Informações:

III Curso de Atualização em Atendimento Pré-Hospitalar – 2° módulo: Acidentes com Produtos Perigosos
Data: 17 de abril de 2019
Hora: das 20h às 22h30
Local: Auditório Raquele Rotta Burkiewicz, Sede do CRM-PR (Rua Victório Viezzer, 84 – Vista Alegre – Curitiba, PR)
Informações: eventos@crmpr.org.br | (41) 3240-4045 | (41) 3240-4077
https://www.crmpr.org.br/III-Curso-de-Atualizacao-em-APH–2-Modulo-Acidentes-com-Produtos-Perigosos-18-51129.shtml

 

APH

2º Encontro da série de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) é realizado em Campinas/SP

Com o tema “Trauma de Extremidades” foi  realizado em 02 de abril, em Campinas/SP,  o 2º Encontro da série de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) , uma iniciativa do Comitê Científico de Cirurgia do Trauma da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas – SMCC

A programação contou com apresentação de caso clínico pela Empresa Concessionária de Rodovias CCR AutoBAn e aula ministrada por profissional do SAMU Campinas, Dra. Camila Fahl Galego.  Durante o evento foram abordados o uso de torniquete, controle de hemorragia externa e imobilização de bacia.

II Encontro Permanente de APH , na SMCC

“O trauma de extremidades é uma das principais causas de internação e de chegada de vítimas no pronto socorro. Então, uma fratura de perna, de mão, uma fratura de braço. Desde um jogo de futebol que ele pode fazer um entorse ou uma fratura de tornozelo até em eventos mais traumáticos. O trauma de extremidades são os principais causadores de sequelas”, enfatizou o Membro do Comitê Científico de Cirurgia do Trauma da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), Dr. Thiago Calderan.

Mais uma vez o evento teve grande procura a exemplo do encontro que abriu a série, realizado em 15 de fevereiro, na SMCC . “É uma felicidade imensa nossa de ter um público grande do APH. O objetivo era esse mesmo de atingir um público que está atuando no trauma, na prevenção e no cuidado deste paciente; reunindo estas entidades”, completou o médico.

Para os participantes, os encontros são importantes no sentido do compartilhamento de experiências, pois muitas vezes um profissional atende ocorrências diferentes do que o colega. Dessa forma, esses momentos de troca são fundamentais.

O evento foi realizado na Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas e contou com o apoio da SBAIT e dos parceiros Grupo de Resgate GRAU, SAMU, Corpo de Bombeiros e Concessionárias de Rodovias.

 

Informações: Assessoria de Comunicação SMCC
Imagens: Branca Braga

 

 

 

 

 

 

APH

SBAIT realiza o I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma

O I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma ocorreu em 28 de fevereiro, no Auditório da Associação Paulista de Medicina (APM) em São Paulo /SP com o objetivo de discutir e reavaliar as práticas de imobilização no trauma praticadas atualmente em todo o país.

No decorrer da programação do Fórum, vários representantes de Instituições apresentaram estudos nacionais, internacionais e também experiências locais mostrando as atualizações que embasam as novas decisões e práticas em imobilização.

Ao final, cada entidade representada registrou seu olhar sobre o assunto e com as perguntas e respostas elencadas, o próximo passo agora é a elaboração de um consenso que norteará as melhores práticas em imobilização no trauma.

O evento foi organizado e promovido pela SBAIT  e contou com a participação de profissionais de diversos áreas e também das entidades: Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), Associação Brasileira de Medicina do Tráfego ( ABRAMET), Comitê de Trauma Brasileiro (BCOT), Comissão Nacional de Urgência e Emergência do COFEN , Colégio Brasileiro de Enfermagem em Emergência, Grupo de Trabalho em Urgência e Emergência do Coren-SP, Corpo de Bombeiros do Estado de SP, SAMU 192 – SP, Grupo de Resgate e Atendimento a Urgências (GRAU), SAMU Bragança Paulista e Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro/RJ.

Confira momentos do evento:

Profissionais palestrantes no evento

 

Participantes do Fórum

 

APH, Eventos, SBAIT

I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma – Como participar

Na próxima quinta-feira, 28 de fevereiro, a SBAIT promove o I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma, reunindo profissionais que atuam na atenção ao trauma para discussão das melhores práticas em imobilização.

O evento será realizado no auditório da Associação Paulista de Medicina (APM), em São Paulo/SP, das 9h00 às 12h00.

Como participar:

Presencialmente e por webconferência.

– Para você que deseja participar PRESENCIALMENTE do evento, estamos disponibilizando NOVAS vagas. 
*Quem já realizou sua inscrição NÃO precisa cadastrar-se novamente.

Para inscrever-se PRESENCIALMENTE no evento, acesse:
https://www.sympla.com.br/i-forum-nacional-de-imobilizacao-…

– Para participar por  WEBTRANSMISSÃO , cadastre-se no link abaixo e no horário do evento, basta acessá-lo.

Evento: SBAIT
Endereço do evento para convidados: https://apmsaopauloevento.webex.com/apmsaopauloevento/onstage/g.php?MTID=e9bdb25f9abd60f3a72e954d57d58f089
Data e hora: Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2019 9:00
Horário Padrão da América do Sul – Leste (Brasília, GMT-03:00)
Número do evento: 665 785 064
Senha do evento: apm2019

 

Programação

9h00 – 9h15 – Abertura e boas vindas – Tercio de Campos ( Presidente SBAIT)

9h15 – 9h30 – O porquê de imobilizar e os primeiros questionamentos – Ricardo Galesso

9h30 – 9h45 – Estado atual de recomendações da imobilização – Lucas Certain

9h45 – 10h00 – Resgate veicular: Técnicas atuais de extricação – Diego Blanco

10h00 -10h15 – Resgate veicular: Novas abordagens – Edgard Neto

10h15 – 10h30 – Podemos aplicar inteiramente as recomendações? Visão e reflexões para o Brasil – Daniel Lima

10h30 – 12h00 – O olhar das entidades convidadas e discussões e construção de perguntas chaves para a construção de um consenso . Moderadores: Daniel Lima, Cruvinel Neto e Antonio Onimaru

 

Sobre o evento:

I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma
Data: 28.02.2019
Auditório da Associação Paulista de Medicina (APM) | São Paulo – SP
Horário: 09h00 – 12h00
Público alvo: Entidades e profissionais que atuam na atenção ao trauma
Transmissão por webconferência

APH, Eventos

I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma

Há mais de 50 anos, o uso de dispositivos de imobilização é a conduta padrão no Atendimento Pré-Hospitalar (APH) às vítimas de trauma em todo mundo, em especial o uso do colar cervical e da prancha longa. Recentes discussões sobre as imobilizações no trauma têm atraído interesse de diversos profissionais e serviços de APH no Brasil .

A Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT) tem acompanhado estas discussões e através do seu Comitê de Pré-Hospitalar, se posiciona em favor do fortalecimento de uma análise crítica baseada em evidências científicas, mas também considerando todas as particularidades vivenciadas pelo modelo de atendimento ao trauma no Brasil. Neste sentido, a SBAIT convida a todos os profissionais interessados nesse debate, a participar do  I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma, que reunirá entidades e profissionais responsáveis em oferecer as melhores práticas ao paciente vítima de trauma.  Confira como participar:

 

Sobre o evento:

I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma,

Data: 28.02.2019

Auditório da Associação Paulista de Medicina (APM) | São Paulo – SP

Horário: 09h00 – 12h00

Público alvo: Entidades e profissionais que atuam na atenção ao trauma

Transmissão por webconferência

 

Participação:

–  Inscrições presenciais (vagas limitadas) : https://www.sympla.com.br/i-forum-nacional-de-imobilizacao-no-trauma__457488

– Para acessar a webtransmissão, cadastre-se no link abaixo e no horário do evento, basta acessá-lo.

 

Evento: SBAIT
Endereço do evento para convidados: https://apmsaopauloevento.webex.com/apmsaopauloevento/onstage/g.php?MTID=e9bdb25f9abd60f3a72e954d57d58f089
Data e hora: Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2019 9:00
Horário Padrão da América do Sul – Leste (Brasília, GMT-03:00)
Número do evento: 665 785 064
Senha do evento: apm2019

 

Programação

9h00 –    9h15 – Abertura e boas vindas – Tercio de Campos ( Presidente SBAIT)

9h15 –    9h30 – O porquê de imobilizar e os primeiros questionamentos – Ricardo Galesso

9h30 –    9h45 – Estado atual de recomendações da imobilização – Lucas Certain

9h45 – 10h00 –  Resgate veicular: Técnicas atuais de extricação – Diego Blanco

10h00 -10h15 – Resgate veicular: Novas abordagens  – Edgard Neto

10h15 – 10h30 – Podemos aplicar inteiramente as recomendações? Visão e reflexões para o Brasil – Daniel Lima

10h30 – 12h00 – O olhar das entidades convidadas e discussões e construção de perguntas chaves para a construção de um consenso . Moderadores: Daniel Lima, Cruvinel Neto e Antonio Onimaru

 

ESTACIONAMENTO CONVENIADO APM

Com acesso direto ao prédio da APM

Multipark Edifício Dr. Florisval Meinão 
Endereço: Rua Francisca Miquelina, 67
Horário de funcionamento: segunda a sexta das 7h às 23h, sábado das 7h às 18h

Horários/Valores do estacionamento:

07h às 19h – R$ 16,00 – em dias da semana

 

*Imagem em destaque: Simulado Nacional SBAIT de Múltiplas Vítimas, em Manaus – 2017.

APH

Imobilização no trauma: necessidade de discussões no Brasil

Há mais de 50 anos, o uso de dispositivos de imobilização é a conduta padrão no Atendimento Pré-Hospitalar (APH) às vítimas de trauma em todo mundo, em especial o uso do colar cervical e da prancha longa. Os primeiros estudos que indicaram a imobilização de coluna foram publicados na década de 60, com a base teórica de prevenir lesões secundárias e evitar falhas no reconhecimento de lesões da coluna, levando em consideração o mecanismo do trauma. Nesta época, foram projetados os primeiros modelos de pranchas e rapidamente, os dispositivos e a prática de imobilização foram incorporados no APH. A prática se fortaleceu globalmente, seguindo a recomendação: “na suspeita de lesão de coluna, imobilize e na dúvida, imobilize”.

Os primeiros artigos sobre efeitos adversos do uso da prancha foram publicados na década de 80, relacionados essencialmente a quatro problemas: dor/desconforto, comprometimento respiratório, compressão de partes moles e ineficiência em garantir imobilização. Nos últimos 18 anos, houve uma discussão crescente com base na Medicina Baseada em Evidências, quanto a prática médica tradicionalmente estabelecida de imobilização no trauma. Estudos em trauma penetrante, mostraram efeitos adversos com o uso do colar cervical. Resultados também semelhantes em estudos de trauma fechado, que além dos efeitos adversos, não identificaram efeitos benéficos na evolução neurológica dos pacientes. Sugerindo que as lesões secundárias não seriam relacionadas com a falta de imobilização da coluna.

Recomendações com “imobilização seletiva” e “restrição da movimentação da coluna (RMC)” ganharam força e impulsionaram as discussões quanto às indicações, contraindicações, benefícios, desvantagens e aspectos técnicos de aplicação. Desde 2013, entidades como a americana National Association of EMS Physicians (NAEMSP) tem se posicionado com orientações sobre o uso de dispositivos de imobilização e sugerindo a diminuição do uso de prancha. Em 2018, junto com a NAEMSP, o Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões (ACS-COT) e o Colégio Americano de Médicos de Emergência, divulgaram um posicionamento quanto a pontos de consenso em relação ao uso de imobilização, como o uso da RMC e prancha longa.

Mais recentemente, estas discussões têm atraído interesse de diversos profissionais e serviços de APH no Brasil. A Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT) tem acompanhado estas discussões e através do seu Comitê de Pré-Hospitalar, se posiciona em favor do fortalecimento de uma análise crítica baseada em evidências científicas, mas também considerando todas as particularidades vivenciadas pelo modelo de atendimento ao trauma no Brasil. Neste sentido, a SBAIT realizará em fevereiro o I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma, reunindo entidades e profissionais responsáveis em oferecer as melhores práticas ao paciente vítima de trauma. Em breve , mais informações.

 

Daniel Souza Lima

Comitê de Pré-Hospitalar da SBAIT

Fechar