“No Brasil, as queimaduras representam um grande agravo à saúde pública. Algumas pesquisas apontam que a maior parte ocorre nas residências das vítimas e quase a metade das ocorrências envolve a participação de menores de idade. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 320 mil crianças morrem anualmente por queimaduras. Segundo o Ministério da Saúde (MS), em 2018, 20.605 crianças com idade de zero a 14 anos foram hospitalizadas por esse motivo. Em 2017, 217 crianças dessa faixa etária morreram após queimaduras e, desse total, 81 tinham entre um e quatro anos de idade. Estes casos, de acordo com o MS, são principalmente decorrentes de escaldamentos (manipulação de líquidos quentes, como água fervente) e situações de violência doméstica”. Essas e outras informações fazem parte dos materiais de orientação divulgados durante o Programa Salvando Vidas do mês de junho, que aborda o tema “Queimaduras”

As Ligas de Trauma de diversas regiões do país disseminaram por meio de ações online, orientações de prevenção e cuidados com esse tipo de ocorrência. Os materiais da campanha trazem informações sobre os tipos de queimaduras ( 1º, 2º e 3º graus), além da regra dos 9, como evitar as queimaduras  e como realizar os primeiros atendimentos em vítimas de queimaduras. Também são usados como orientação à população vídeo realizado pela Liga do Trauma da Unicamp, em associação com o CoBraLT e a SBAIT e atividade interativa , como quiz.

O Programa Salvando Vidas é uma iniciativa do Comitê Brasileiro de Ligas de Trauma (CoBraLT), em parceria com  SBAIT. Saiba mais em: http://cobralt.com.br/