Estamos próximos de umas das maiores festas populares no Brasil que atrai milhares de pessoas de vários países experimentarem a alegria e hospitalidade de nossa gente.

O carnaval de São Paulo, por exemplo, tem uma expectativa de crescer 60% nos blocos de rua em relação ao ano passado (Estadão, dez/2018).

Uma festa grandiosa como essa que tem um tempero que preocupa quem trabalha com trauma e emergências: feriado prolongado, deslocamentos viários, jovens e álcool.

A partir de meados dos anos 1980, as mortes associadas às causas externas, que incluem os homicídios, suicídios, acidentes de trânsito, afogamentos, quedas acidentais etc., passaram a desempenhar um papel de destaque, de forma negativa, sobre a estrutura por idade das taxas de mortalidade, particularmente dos adultos jovens do sexo masculino. (Tabua de Mortalidade IBGE 2017)

O trânsito brasileiro é o quarto mais violento do continente americano, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Dentro do País, São Paulo é o Estado com maior número de óbitos no trânsito e dirigir alcoolizado é a segunda maior causa (Professor Ricardo Abrantes do Amaral, do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP)

Em sua coluna semanal, o médico fala sobre um estudo feito no Hospital Saint Paul, no Canadá durante muitos anos, que mostra o aumento de acidentes automobilísticos nos Estados Unidos em um período “famoso” por ser o horário de maior consumo de maconha. O THC diminuiu o tempo de reação do motorista. Um dos principais princípios ativos da cannabis e um dos responsáveis pelas alterações de percepção após o consumo da planta”, (Prof. João Paulo Lotufo).

Por esses e outros motivos a Sociedade Brasileira de Atendimento Integral ao Traumatizado – SBAIT orienta que alguns cuidados sejam tomados antes da folia:

– Antes de viajar, mantenha as revisões de seu carro em dia e utilize sempre o cinto de segurança, inclusive no banco de trás. Se for viajar de moto use sempre o capacete e roupas adequadas,

– Se for viajar de carro ou moto, mantenha atenção redobrada na sinalização viária, nos limites de velocidade e nos demais veículos ao seu redor,

– Transporte as crianças sempre no banco de trás e com cinto de segurança. Caso tenha até́ sete anos, utilize a cadeirinha apropriada,

– Não deixe para decidir se vai dirigir ou não depois de ter bebido, a decisão vai ser errada, decida antes de sair de casa,

– Se for dirigir, não beba, o álcool é responsável por 65% dos acidentes nas estradas,

– Café, banho gelado e medicações não reduzem os efeitos do álcool,

– O respeito entre pedestres, motoristas e motociclistas é o segredo para reduzir acidentes e acabar com a violência no trânsito,

  • Não use o celular enquanto dirige, essa prática aumenta em 400% o risco de acidentes.

Divirta-se com cuidado!!!!

 

Por Dr. Danilo Stanzani – Diretor do comitê de prevenção SBAIT