imagem aula de medicinaCom a expansão de cursos de medicina , governo lança projeto para driblar a escassez de professores , aceitando, nas Universidades Federais, professores sem pós-graduação.

O projeto prevê que esses professores , sem mestrado ou doutorado, cursem a pós graduação enquanto lecionam. O formato da pós-graduação terá carga presencial e a distância.

Para o Conselho  Federal de Medicina, há o risco de uma formação desqualificada. Por outro lado, o Ministério da Educação afirma que os cursos terão qualidade, pois os professores sem pós-graduação terão supervisão direta de professores experientes.

Até 2017 o governo pretende aumentar em 65% o número de vagas em medicina devido ao argumento de que faltam profissionais formados na área.

Atualmente, 80% dos professores de medicina nas universidades federais possuem mestrado ou doutorado. O Ministério da Educação já adiantou que nos próximos concursos, a proporção de docentes com formação em pós-graduação deverá ser menor, uma vez que as vagas ofertadas estarão em regiões  onde não há cursos de medicina, portanto, poucos médicos para lecionar.

Saiba em detalhes:

Novos cursos de medicina terão mais docentes sem pós-graduação