Posts Populares

APH, Eventos

I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma

Há mais de 50 anos, o uso de dispositivos de imobilização é a conduta padrão no Atendimento Pré-Hospitalar (APH) às vítimas de trauma em todo mundo, em especial o uso do colar cervical e da prancha longa. Recentes discussões sobre as imobilizações no trauma têm atraído interesse de diversos profissionais e serviços de APH no Brasil .

A Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT) tem acompanhado estas discussões e através do seu Comitê de Pré-Hospitalar, se posiciona em favor do fortalecimento de uma análise crítica baseada em evidências científicas, mas também considerando todas as particularidades vivenciadas pelo modelo de atendimento ao trauma no Brasil. Neste sentido, a SBAIT convida a todos os profissionais interessados nesse debate, a participar do  I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma, que reunirá entidades e profissionais responsáveis em oferecer as melhores práticas ao paciente vítima de trauma.  Confira como participar:

 

Sobre o evento:

Data: 28.02.2019

Auditório da Associação Paulista de Medicina (APM) | São Paulo – SP

Horário: 09h00 – 12h00

Público alvo: entidades e profissionais que atuam na atenção ao trauma

Transmissão por Telemedicina

*Inscrições presenciais estão esgotadas, em breve informações sobre a transmissão por telemedicina 

 


Programação

09h00 – Abertura e boas vindas – Tércio de Campos (Presidente Sbait)

09h15 –  O porquê de imobilizar e os primeiros questionamentos – Ricardo Galesso

09h30 –  Estado atual de recomendações da imobilização – Lucas Certain

09h45 –  Resgate veicular: técnicas atuais de extricação – Diego Blanco

10h00 –  Podemos aplicar inteiramente as recomendações? Visão e reflexões para o Brasil – Daniel Lima

10h15 –  O olhar das Sociedades Médicas Convidadas

10h40 – 12h00- Discussões e construção de perguntas chaves para construção de um Consenso-   Daniel Lima , José Cruvinel Neto

ESTACIONAMENTO CONVENIADO APM

Com acesso direto ao prédio da APM

Multipark Edifício Dr. Florisval Meinão 
Endereço: Rua Francisca Miquelina, 67
Horário de funcionamento: segunda a sexta das 7h às 23h, sábado das 7h às 18h

Horários/Valores do estacionamento:

07h às 19h – R$ 16,00 – em dias da semana

 

*Imagem em destaque: Simulado Nacional SBAIT de Múltiplas Vítimas, em Manaus – 2017.

Sem categoria

Sobrasa divulga dados da Semana Latino-Americana de Prevenção de 2018

A 3ª edição da Semana Latino-Americana ocorrerá de 24 a 30 de novembro de 2019

A Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – SOBRASA, parceira SBAIT,  divulgou os dados da Semana latino Americana de prevenção em Afogamento realizada de 19 a 25 de novembro de 2018. Ao todo, participaram 15 países ( Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Nicarágua, El salvador, Equador, Espanha. México, Paraguai, Portugal, Peru, Uruguai e Venezuela). O Brasil contou com a participação de 20 estados.  140 ações foram reportadas e 33.5 milhões de pessoas participaram diretamente em cursos, aula, atividades em escolas, clubes, academias, espaços abertos e indiretamente por meio de familiares, amigos, mídias sociais, TV, Rádio e Jornais.

A SBAIT participou da Semana Latino-Americana com divulgação de orientações de prevenção de afogamento e ações locais, como o  3º Workshop de Salvamento Aquático, um evento do Programa “Salvando Vidas”, que foi realizado em Campinas/SP.

A Semana Latino-Americana de Prevenção em Afogamento é a maior campanha mundial em prevenção de afogamentos. Para a Sobrasa, ” Com um pouco de esforço podemos salvar uma vida e vamos continuar fazendo a diferença, não só na semana, mas praticando ações durante o ano todo. Unidos é a única forma de enfrentar o desastre do afogamento, que leva 16 brasileiros à morte todos os dias.

Em 2019, a terceira edição da Semana Latino-Americana já tem data marcada para acontecer. Será realizada de 24 a 30 de novembro.

Para saber mais sobre a Semana Latino Americana e outras ações de prevenção e afogamento, como a Piscina + Segura, visite o site da Sobrasa: http://www.sobrasa.org

Parceiros, Prevenção

SBAIT participa de reunião com parceiros para traçar estratégias de prevenção

Na tarde desta terça-feira, 29 de janeiro, foi realizada na sede do Observatório Nacional de Segurança Viária – ONSV, na cidade de Indaiatuba/SP, uma reunião entre diretores da SBAIT, representantes do ONSV com o presidente Sr José Aurélio Ramalho e a representante do projeto “Vida sobre Rodas”, Dra Adriana Mallet, para discutir as estratégias de prevenção e organização do atendimento a traumatizados.

Nessa reunião estiveram representando a SBAIT, os diretores  Dr Danilo Stanzani (Comitê de prevenção), Dr. Gustavo P. Fraga (Comitê de Educação) e Dr Alcir E. Dorigatti (Membro do Programa P.A.R.T.Y. Campinas). Justificou a ausência  Dr Thiago Calderan (Coordenador do Comitê das Ligas de Trauma da SBAIT).

Foram discutidos importantes projetos de prevenção, como o Maio Amarelo, a reinserção de traumatizados com sequelas na sociedade, através do Projeto Recomeço, que faz parte do Programa “Urbanidade” . Também foram discutidas ações para desenvolver o Registro de Trauma, unindo forças de outras entidades médicas , além de outras articulações que serão feitas por meio de Frentes Parlamentares em Brasília/DF.

Eventos

SBAIT representada no lançamento de Centro de Trauma em Campinas/SP

Nesta terça-feira, 29 de janeiro, ocorreu em Campinas/SP, a inauguração do Centro de Trauma do Hospital Vera Cruz, com capacidade para atender quatro pessoas simultaneamente.

A SBAIT esteve representada na inauguração pelos  diretores e sócios da SBAIT: Dr Danilo Stanzani, diretor do comitê de prevenção, dr Gustavo P. Fraga,  diretor do comitê de educação , Dr Mauricio Godinho, diretor do capítulo SBAIT-SP, Dr. Mario Eduardo Mantovani, Dr. Henrique Mesquita, Dra Marina Sider e Dr. Gustavo Magaldi.

O Centro de Trauma do Hospital contará com  especialistas de neurocirurgia vascular, ortopedia, cirurgia de trauma, cirurgia cardíaca e demais profissionais.

Como apoio à equipe de atendimento do trauma está o serviço social do Hospital Vera Cruz, que simultaneamente ao socorro do politraumatizado atua junto aos familiares, promovendo uma abordagem humanizada do atendimento.

Abaixo, imagens do evento:

 

Imagem em destaque: Diretores e sócios da SBAIT presentes no evento – Crédito: arquivo SBAIT

 

Imagens galeria

crédito: Arquivo HVC-2019

SBAIT

Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT – Entenda como funciona e como participar

O Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT foi acionado recentemente em razão do rompimento da barragem em Brumadinho/MG, que resultou em centenas de vítimas no dia 25 de janeiro. A última vez que o Plano havia sido acionado foi devido ao incêndio na Boate Kiss, em 27 de janeiro de 2013 (vide imagem acima, onde membros SBAIT participam da teleconferência ).  Entenda como funciona o Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT e como participar:


Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT

O Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT consiste em uma mobilização nacional dos sócios da SBAIT, quando ocorrer uma catástrofe em algum local do país e, eventualmente, do mundo. Deste modo, abre-se uma linha de comunicação nacional entre os voluntários inscritos no programa.

O primeiro passo consiste na detecção de uma situação em que haja a necessidade do atendimento de múltiplas vítimas ou de vítimas críticas em situações específicas e que possa haver necessidade de discussão de casos clínicos, planejamento de estratégias e administração de ações.

Este plano será convocado pelo presidente ou, em sua ausência, pelo vice-presidente da SBAIT. A convocação será feita pelos contatos dos membros inscritos neste programa e pelas redes sociais. A partir daí, abre-se o canal de telemedicina. Atualmente, este canal tem sido disponibilizado em Miami (EUA), mas poderá ser feito de outras formas. O link deste canal será enviado aos sócios inscritos previamente neste Plano e àqueles que atenderem ao chamado das mídias sociais.

A partir desta comunicação estabelecida, deverá ser feito o diagnóstico da situação, estabelecendo a necessidade de recursos, tendo como base de Contato, preferencialmente, o membro da SBAIT no local da Catástrofe ou, caso não haja nenhum membro disponível, o cirurgião responsável no local.

Será então traçado um plano de auxílio, com voluntários presenciais, caso necessário, e apoio ininterrupto à distância, através da discussão de casos e de ações, com disponibilidade de auxílio internacional em uma rede de especialistas nas mais diversas áreas.

A centralização destas decisões será feita na rede aberta, sob a coordenação da SBAIT e a participação de seus sócios voluntários.

Para que se tenha agilidade no processo, encorajamos os membros que têm interesse em participar desta rede a se inscreverem previamente, para que a comunicação seja facilitada.

 

Tercio De Campos

Presidente – SBAIT

 

 

SBAIT

SBAIT aciona plano nacional de catástrofe para dar suporte a médicos envolvidos no atendimento às vítimas de Brumadinho

Entidade está em alerta e pode acionar, a qualquer momento, uma rede de troca de informações ou até deslocar ajuda para a cidade mineira

A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) acionou seu Plano Nacional de Catástrofes para dar apoio aos médicos envolvidos no atendimento às vítimas da tragédia que aconteceu em Brumadinho (MG). Cirurgiões do trauma da entidade estão de prontidão para ajudar com conhecimento e até presencialmente, caso haja necessidade.

Através do Plano Nacional de Catástrofes, fica aberta a rede nacional de telemedicina para troca de informações entre os envolvidos e a diretoria da sociedade, com planejamento de estratégias e administração das ações. “Já acionamos a rede de teleconferência em Miami (EUA) e, se houver necessidade, em pouco tempo, conseguimos mobilizar cirurgiões de vários locais do País e do mundo para troca de experiência. Muitos, inclusive, já viveram e coordenaram situações que envolvem múltiplas vítimas”, explica o presidente da SBAIT, Tércio de Campos.

Uma ação semelhante foi realizada quando houve o incêndio da Boate Kiss, que, em 2013, matou 242 pessoas e deixou outras 680 feridas, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. “Na ocasião, médicos do mundo todo se reuniram, através da telemedicina, para ajudar na melhor forma de atendimento às vítimas. A experiência de todos contribuiu demais”, comenta Campos.

De acordo com ele, é muito importante ter uma estrutura montada em situações como esta. “Catástrofes precisam ser bem administradas para minimizar ao máximo o impacto delas e para garantir o melhor atendimento possível às vítimas. Nós temos membros da SBAIT atuando diretamente no atendimento médico às vítimas e também estamos com um grupo montado, via aplicativo, com cirurgiões em alerta e dispostos a oferecer todo suporte necessário, seja à distância ou pessoalmente”, afirma.

A barragem, da mineradora Vale, se rompeu no início da tarde desta segunda-feira e causou uma avalanche de lama e rejeitos de minério de ferro. Segundo o Corpo de Bombeiros, cerca de 200 pessoas estão desaparecidas. “A SBAIT se solidariza com as vítimas dessa tragédia e seus familiares. E apoia todos os profissionais envolvidos no resgate e no atendimento das pessoas envolvidas nessa situação tão triste”, destaca o presidente da SBAIT.

Sobre a SBAIT
A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) é uma entidade médica, que reúne cirurgiões do Trauma de todo o país. Esses profissionais são responsáveis pelo atendimento de qualquer tipo de trauma, ou seja, lesão causada por um fator externo, como catástrofe, violência e ocorrências de trânsito.

Informações à imprensa:
Capovilla Comunicação
Patrícia Capovilla
(19) 99284-1970

 

*Crédito imagem: Veja

Sem categoria

Comunicado SBAIT – Tragédia em Brumadinho/MG

A SBAIT se solidariza com

as vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho/MG,

ocorrida nesta sexta-feira, 25/01, 

informa que acionou o

Plano Nacional de Catástrofes para

auxílio da assistência às vítimas e

apoio à equipe médica de Minas Gerais, 

centralizada no

Hospital João XXIII de Belo Horizonte.

SBAIT

SBAIT participa de reunião da Câmara Técnica de Urgência e Emergência em Brasília

SBAIT esteve representada na reunião. Crédito: CFM

Na última quarta-feira, 23/01/2019, foi realizado na sede do Conselho Federal de Medicina (CFM), em Brasília, a primeira reunião do ano da Câmara Técnica de Urgência e Emergência. Essa Câmara é coordenada pelo Dr. Mauro Luiz de Britto Ribeiro, e estava prevista a participação do senhor Ministro da Saúde, Dr. Henrique Mandetta, cuja participação teve de ser cancelada na véspera por motivos de demanda presidencial.

O Dr. Tércio De Campos, presidente da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), participou da reunião, assim como o Coordenador do Comitê de Educação, Dr. Gustavo P. Fraga, que é membro dessa Câmara. A reunião foi importante para as entidades médicas prepararem pautas para a reunião que será realizada no Ministério da Saúde, e além da SBAIT e CFM, estiveram presentes representantes da ABRAMEDE, AMIB, e outras entidades.

O Dr. Tércio apresentou as linhas de ação que são importante na opinião da SBAIT para melhorar a assistência ao traumatizado: investir em programas de prevenção; realizar a capacitação dos profissionais com cursos nacionais de imersão; ter um registro de trauma nos hospitais com maior demanda de atendimentos; e realizar a acreditação de centros de trauma dentro da linha de cuidados ao trauma.

Outros associados da SBAIT que são da Câmara Técnica e também participaram da reunião foram: Dr. Jorge C. M. Curi, Dr. Rodrigo Caselli Belém e Dr. Gérson Alves Pereira Jr.

APH

Imobilização no trauma: necessidade de discussões no Brasil

Há mais de 50 anos, o uso de dispositivos de imobilização é a conduta padrão no Atendimento Pré-Hospitalar (APH) às vítimas de trauma em todo mundo, em especial o uso do colar cervical e da prancha longa. Os primeiros estudos que indicaram a imobilização de coluna foram publicados na década de 60, com a base teórica de prevenir lesões secundárias e evitar falhas no reconhecimento de lesões da coluna, levando em consideração o mecanismo do trauma. Nesta época, foram projetados os primeiros modelos de pranchas e rapidamente, os dispositivos e a prática de imobilização foram incorporados no APH. A prática se fortaleceu globalmente, seguindo a recomendação: “na suspeita de lesão de coluna, imobilize e na dúvida, imobilize”.

Os primeiros artigos sobre efeitos adversos do uso da prancha foram publicados na década de 80, relacionados essencialmente a quatro problemas: dor/desconforto, comprometimento respiratório, compressão de partes moles e ineficiência em garantir imobilização. Nos últimos 18 anos, houve uma discussão crescente com base na Medicina Baseada em Evidências, quanto a prática médica tradicionalmente estabelecida de imobilização no trauma. Estudos em trauma penetrante, mostraram efeitos adversos com o uso do colar cervical. Resultados também semelhantes em estudos de trauma fechado, que além dos efeitos adversos, não identificaram efeitos benéficos na evolução neurológica dos pacientes. Sugerindo que as lesões secundárias não seriam relacionadas com a falta de imobilização da coluna.

Recomendações com “imobilização seletiva” e “restrição da movimentação da coluna (RMC)” ganharam força e impulsionaram as discussões quanto às indicações, contraindicações, benefícios, desvantagens e aspectos técnicos de aplicação. Desde 2013, entidades como a americana National Association of EMS Physicians (NAEMSP) tem se posicionado com orientações sobre o uso de dispositivos de imobilização e sugerindo a diminuição do uso de prancha. Em 2018, junto com a NAEMSP, o Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões (ACS-COT) e o Colégio Americano de Médicos de Emergência, divulgaram um posicionamento quanto a pontos de consenso em relação ao uso de imobilização, como o uso da RMC e prancha longa.

Mais recentemente, estas discussões têm atraído interesse de diversos profissionais e serviços de APH no Brasil. A Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT) tem acompanhado estas discussões e através do seu Comitê de Pré-Hospitalar, se posiciona em favor do fortalecimento de uma análise crítica baseada em evidências científicas, mas também considerando todas as particularidades vivenciadas pelo modelo de atendimento ao trauma no Brasil. Neste sentido, a SBAIT realizará em fevereiro o I Fórum Nacional de Imobilização no Trauma, reunindo entidades e profissionais responsáveis em oferecer as melhores práticas ao paciente vítima de trauma. Em breve , mais informações.

 

Daniel Souza Lima

Comitê de Pré-Hospitalar da SBAIT

SBAIT

Confira os 15 benefícios do sócio SBAIT

E 2019 começou com muitas novidades para os sócios SBAIT.

Uma delas é o aumento de benefícios do associado.

Confira 15 benefícios de ser sócio da SBAIT:

Cursos:
1. Descontos na inscrição de cursos de capacitação e atualização, como: DSTC, USET e ADMR
2. Descontos para participação em Congressos da SBAIT (anos pares) e eventos apoiados pela mesma


Publicações:

3. Recebimento mensal do informativo eletrônico Espaço do Trauma,  numa parceria com a Revista Emergência
4. Recebimento bimestral da versão eletrônica da Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões
5. Recebimento do periódico trimestral TRAUMA BoleTEAM, versão impressa e eletrônica
6. Recebimento mensal de seis artigos científicos, em pdf, via e-mail, do TRAUMA EM REVISTA
7. Recebimento por e-mail da Revista da Sociedade Pan-americana de Trauma (SPT)


Sociedades de Trauma:

8. Descontos para inscrição na prova de Título de Habilitação em Cirurgia do Trauma, em parceria com CBC e AMB
9. Descontos para filiação à Sociedade Panamericana de Trauma (SPT)
10. Acesso às reuniões para discussão de casos via Telemedicina da PTS (toda sexta-feira) e da SBAIT (na última quarta-feira do  mês).
11. Participação nos projetos de Prevenção da SBAIT, como P.A.R.T.Y., MAIO AMARELO, SALVANDO VIDAS, Dicas de Emergência, etc
12. Torna-se automaticamente membro da ALTEC (Associação Lusitana de Trauma Emergência Cirúrgica)
13. Canal aberto para uma rede de especialistas para discussão de condutas  e dúvidas de Trauma e Urgências Cirúrgicas não traumáticas
14. Kit sócio com certificado, carteirinha e pin da SBAIT
15. Participação no Plano Nacional de Catástrofes da SBAIT
Se você ainda não é sócio  SBAIT  aproveite e faça seu cadastro para obter todos esses benefícios:
Fechar